Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10009
Título: Plasticidade fenotípica de três arbóreas tropicais em condições de irradiância contrastantes
Autor(es): Gaburro, Thiele Arpini
Orientador: Cuzzuol, Geraldo Rogério Faustini
Coorientador: Matsumoto, Silvia Tamie
Data do documento: 26-Fev-2013
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O plantio de arbóreas nativas tropicais encontra-se em ascensão, e para o sucesso dessa atividade, é necessária informações sobre o comportamento das espécies em relação ao meio no qual estão inseridas, como a intensidade de radiação solar. No ambiente florestal, a luz é um dos fatores principais no estabelecimento e distribuição de espécies vegetais. Assim, espécies com ampla plasticidade apresentam vantagens adaptativas em ambientes heterogêneos. Acredita-se que espécies tolerantes à sombra, apresentam em geral, metabolismo com baixa flexibilidade de resposta às mudanças no ambiente. Já as espécies exigentes de luz, se aclimatam mais rapidamente às mudanças do regime de luminosidade. Nesse contexto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a plasticidade fenotípica de três arbóres tolerantes ao sombreamento (Cariniana estrellensis, Cedrela odorata e Manilkara salzmannii) em condições de luminosidade contrastante considerando as respostas fisiológicas, morfológicas e anatômicas. Para isso, plantas joves dessas espécies foram submetidas a dois tratamentos: Pleno sol e Sombra ( 5% de luminosidade). Após 150 dias de experimento, foram realizadas análise morfológicas, fisiológicas e anatômicas. As três espécies mostraram intensas alterações nos diferentes tratamentos, apresentando respostas comumentes encontradas em espécies adaptadas ao sol e à sombra. Plantas de sombra apresentaram menor razão R:PA, maiores valores para AFE, RAF, altura do caule e maior teor de pigmentos fotossintéticos. Plantas de sol apresentaram maior MFE, teor de carboidratos solúveis, além de maior espessura do limbo foliar e densidade estomática. O índice de plasticidade mostrou que, para as três espécies, houve maior amplitude de respostas em variáveis fisiológicas, seguidas de morfológicas e anatômicas. A C. odorata apresentou maior IP de variáveis morfológicas que C. estrellensis e M. Salmanni, o que mostra maior plasticidade fenotípica dessa espécie em relação às outras. De maneira geral, as espécies estudadas apresentaram elevada plasticidade fenotípica relacionada a luminosidade contrastante, corroborando a hipótese de que espécies tolerantes ao sombreamento são capazes de sobreviver em ambiente altamente iluminado. Devido à capacidade de aclimatação em pleno sol, essas IX espécies se configuram como espécies de sombra facultativa, podendo ser indicadas para programas de reflorestamento e recuperação de áreas degradadas. Palavras chave: Plasticidade, arbóreas, luminosidade, morfologia, fisiologia, anatomia.
he planting of tropical native tree is rising, and, tothe success of this activity, is needed information about the behavior of the species in relation to the environment in which they operate, like the intensity of radiation. In the forest, the light is a major factor in the establishment and distribution of plant species. Thus, species with extensive plasticity have adaptive advantages in heterogeneous environments. It is believed that the shade tolerant species present, in general, metabolism with low flexibility of response to changes in the environment. On the other hand, light demanding species, acclimate more quickly to changing lighting scheme. In this context, the objective of this study was to assess the phenotypic plasticity of three trees tolerant to shading (Cariniana estrellensis, Cedrela odorataandManilkara salzmannii) in contrasting light conditions considering the physiological, morphological and anatomical. For this, young plants of these species were subjected to two treatments: Full sun and Shadow (5% brightness). After 150 days of experiment, were performed morphological, physiological and anatomical analyses. The three species showed intense changes in the different treatments, providing answers commonly found in species adapted to sun and shade. Shade plants showed a lower R: PA, higher values for AFE, RAF, stem height and higher levels of photosynthetic pigments. Sun plants had higher MFE, soluble carbohydrates, and increased leaf thickness and stomatal density. The plasticity index showed that for the three species, range of physiological responses was greater, followed by morphological and anatomical. The C. odoratashowed higher IP to morphological variables that C. estrellensisand M.Salzmanni,which shows greater phenotypic plasticity of this species from the other. In general, the species studied showed high phenotypic plasticity related to contrasting light, corroborating the hypothesis that shade-tolerant species are able to survive in highly illuminated environment. Due to the ability of acclimatization in full sun, these species are configured as facultative shade species and may be indicated for reforestation programs and restoration of degraded areas
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10009
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_7418_tese_7418_Dissertação_THIELE.pdf17.56 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.