Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10010
Título: EFEITOS DOS ACIDOS HUMICOS PROVENIENTES DE ATERRO SANITARIO EM PLANTAS
Autor(es): MOROZESK, M.
Orientador: MATSUMOTO, S. T.
Coorientador: DOBBS, L. B.
Palavras-chave: Palavras-chave: Zea mays
citotoxicidade
teste Allium cepa
Data do documento: 13-Fev-2014
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: MOROZESK, M., EFEITOS DOS ACIDOS HUMICOS PROVENIENTES DE ATERRO SANITARIO EM PLANTAS
Resumo: RESUMO O processo de tratamento biológico dos lixiviados de aterros sanitários resulta na geração de grandes quantidades de lodo, caracterizados por conterem altas taxas de matéria orgânica. Por meio do fracionamento químico da matéria orgânica são obtidos os ácidos húmicos (AH), fração de comprovada eficiência sobre o crescimento vegetal, promovendo melhorias no desenvolvimento das plantas. Este trabalho teve como objetivo caracterizar quimicamente os AH extraídos do lodo de lixiviado de aterro sanitário e avaliar os efeitos da aplicação de diferentes doses dos AH por meio de análises biológicas em plantas, visando minimizar os potenciais riscos da utilização do lodo in natura. Por meio de caracterizações químicas, o ácido húmico apresentou elevados teores de carbono e nitrogênio, podendo constituir uma importante fonte de nutrientes para as plantas. Além disso, foram observadas alterações nas taxas de absorção, na bioconcentração e na translocação de alguns nutrientes. Com relação à análise das enzimas antioxidantes, foi possível observar aumento na atividade de algumas enzimas com a aplicação de diferentes doses de AH. Além disto, foram constatadas alterações citogenéticas por meio da análise de células meristemáticas e F1 de Allium cepa. Influências sobre o crescimento da planta também são reportadas, por meio de aumentos expressivos na área radicular e na altura de Zea mays. Em geral, os dados de crescimento revelaram um maior investimento da planta na parte aérea, provavelmente associado com a melhor eficiência do sistema radicular. Além disso, também foram reportadas alterações na espessura da epiderme. Neste contexto, apesar dos benefícios nutricionais e da comprovada atuação dos AH sobre o metabolismo vegetal, os seus efeitos biológicos sobre enzimas do estresse oxidativo e a sua capacidade citotóxica precisam ser melhor inPalavras-chave: Zea mays; citotoxicidade; teste Allium cepa; análise de crescimento e estresse oxidativo.vestigados. Devido à complexidade do resíduo, a utilização de análises químicas, genéticas, enzimáticas, fisiológicas e anatômicas foi uma importante ferramenta para a avaliação da possível aplicação dos ácidos húmicos em plantas. Palavras-chave: Zea mays; citotoxicidade; teste Allium cepa; análise de crescimento e estresse oxidativo.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10010
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_7832_Dissertação Mariana Morozesk_versão final.pdf1.1 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.