Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10015
Título: ECOFISIOLOGIA, FENOLOGIA E ADAPTAÇÃO DE ESPÉCIES FLORESTAIS ARBÓREAS NAS CONDIÇÕES EDAFOCLIMÁTICAS DE VIANA ES
Autor(es): BARBOSA, J. F. M.
Orientador: VENTURA, J. A.
Palavras-chave: Palavras-chave: Adaptação
Arboreto
Biomas
Fenologia
Espé
Data do documento: 11-Jul-2014
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BARBOSA, J. F. M., ECOFISIOLOGIA, FENOLOGIA E ADAPTAÇÃO DE ESPÉCIES FLORESTAIS ARBÓREAS NAS CONDIÇÕES EDAFOCLIMÁTICAS DE VIANA ES
Resumo: RESUMO A intensa atividade humana devasta grandes extensões de florestas nativas, seja para expansão da agricultura seja para suprir a crescente demanda do mercado por madeira, de uma forma ou de outra os pequenos fragmentos florestais remanescentes sofrem constantes pressões antrópicas, contudo, o uso de espécies arbóreas adaptadas pode contribuir para a proteção desses recursos naturais. Buscou-se neste estudo avaliar os padrões fenológicos de 109 espécies florestais arbóreas pertencentes a 37 famílias e 82 gêneros, dentre nativas e exóticas, com nove anos de idade, para diferenciar as mais adaptadas e com potencial de serem utilizadas em programas de reflorestamento. O estudo foi realizado na Fazenda Experimental do Incaper, em Jucuruaba, município de Viana-ES, (UTM E-345524, N-7741039). Foram realizadas análises químicas do solo na área plantada e os dados climatológicos obtidos na estação meteorológica de Viana. O estudo baseou-se na observação do número de plantas sobreviventes de cada espécie e da avaliação do seu crescimento. Foram realizadas observações das fenofases de brotação, senescência de folhas, floração e frutificação. As avaliações fenológicas foram realizadas em intervalos mensais, no período de novembro de 2012 a outubro de 2013. Realizou-se a medição da altura das árvores, diâmetro à altura do peito (DAP), índice de enfolhamento, taxa de sobrevivência e cálculo do ICC (Índice Combinado de Crescimento), bem como a determinação das espécies mais adaptadas. Das 109 espécies estudadas, 64,22% apresentaram adaptação funcional e estrutural às condições de solo e clima da região experimental, 42,22 % floresceram e frutificaram e 90% apresentaram senescência e brotação acompanhando a sazonalidade climática. Vinte e nove espécies apresentaram ICC maior do que o ICC médio. A maioria das espécies destacou-se como alternativa para recuperação da cobertura vegetal local, com destaque para Inga uruguensis e Schizolobium amazonicum. As análises de fluorescência da clorofila revelaram que o aparato fotossintético da Schizolobium amazonicum foi capaz de protegê-la da fotoinibição e promover boa conversão da energia luminosa em fotoquímica. Palavras-chave: Adaptação. Arboreto. Biomas. Fenologia. Espécies Arbóreas.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10015
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_8315_dissertação_barbosa_jfm_agosto_2014.pdf7.29 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.