Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10023
Título: VARIAÇÃO ESPACIAL LONGITUDINAL DA COMUNIDADE FITOPLANCTÔNICA, ESTADO TRÓFICO E VARIÁVEIS AMBIENTAIS DE DUAS LAGOAS COSTEIRAS DO MUNICÍPIO DA SERRA/ES: LAGOA JUARA E LAGOA JACUNÉM.
Autor(es): ALMEIDA, L. B.
Orientador: FERNANDES, V. O.
Data do documento: 24-Fev-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: ALMEIDA, L. B., VARIAÇÃO ESPACIAL LONGITUDINAL DA COMUNIDADE FITOPLANCTÔNICA, ESTADO TRÓFICO E VARIÁVEIS AMBIENTAIS DE DUAS LAGOAS COSTEIRAS DO MUNICÍPIO DA SERRA/ES: LAGOA JUARA E LAGOA JACUNÉM.
Resumo: O presente estudo objetivou avaliar a variação espacial longitudinal da comunidade fitoplanctônica, estado trófico e variáveis ambientais de duas lagoas costeiras do município da Serra/ES: Lagoa Juara e Lagoa Jacuném. Foram realizadas coletas em seis estações amostrais em cada lagoa, no dia 19/09/2013 na lagoa Juara e no dia 21/09/2013 na lagoa Jacuném e foram coletadas amostras na subsiperfície, sempre pela manhã. As amostras qualitativas foram coletadas com rede de plâncton de 20 μm e as quantitativas foram coletadas com arraste manual. A estrutura da comunidade fitoplanctônica foi avaliada segundo seus principais atributos: densidade total e por Classe, riqueza de táxons, dominância, abundância, diversidade e equitabilidade. A biomassa foi avaliara com base nos valores de biovolume total e clorofila a. Foram determinados: temperatura (ar/água), oxigênio dissolvido, transparência, zona eufótica, profundidade, pH, turbidez, sólidos totais em suspensão, condutividade elétrica, salinidade e principais nutrientes (silicato, ortofosfato, fósforo total, nitrito, nitrato, nitrogênio amoniacal e nitrogênio total). Foi avaliado a trofia das lagoas com base nos valores de clorofila a, fósforo total e índice de estado trófico (IET). Foram registrados 207 táxons na lagoa Juara e 150 táxons na lagoa Jacuném, sendo que as Classes Bacillariophyceae, Chlorophyceae e Cyanophyceae foram as mais representativas em ambas as lagoas. A densidade total, clorofila a e biovolume foram elevados, apresentando maiores valores nas estações EA5 e EA6 da lagoa Juara e estação EA1 da lagoa Jacuném. Ambas as lagoas se caracterizaram como ambientes rasos, levemente alcalinos, com elevados valores de condutividade elétrica. A classificação trófica registrou que a lagoa Jacuném se encontra em avançado processo de eutrofização (todas as estações de caracterizaram como hipereutróficas pelo IET médio) e a lagoa Juara se apresentou como hipereutrófica nas estações EA4, EA5 e EA6, sendo as demais classificadas como eutróficas. (também de acordo com o IET médio). Na lagoa Juara, as estações EA5 e EA6 se apresentaram com características de impacto antrópico, possivelmente devido à presença de efluente doméstico sem tratamento lançado nessa região através do córrego Laranjeiras. A lagoa Jacuném se encontra em uma condição mais impactada, sendo que todas as estações amostrais apresentaram evidências disso; entretanto, a estação EA1 registrou valores superiores de nutrientes, condutividade elétrica, turbidez, sólidos totais suspensos, densidade fitoplanctônica e clorofila a; provavelmente devido à presença dos córregos Jacunem e Veneer que lançam efluentes domésticos com e sem tratamento nessa região. Ambas a lagoas mostraram sinais de alterações em suas condições ambientais, que comprometem seu uso.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10023
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9366_Dissertação Lorena Baptista Almeida.pdf2.84 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.