Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10073
Título: Mobilidade sustentável e densidade urbana na Grande Vitória - ES: análise com base nos resultados da pesquisa de origem e destino de 2007
Autor(es): Borges, Eduardo Schwartz
Orientador: Alvarez, Cristina Engel
Palavras-chave: Mobilidade urbana; uso do solo; densidade urbana
urban mobility; sustainable mobility; sustainable urbanism; land use; urban density
Data do documento: 10-Abr-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Desde a segunda metade do século XX, a preocupação com o desenvolvimento sustentável e o crescimento dos problemas urbanos em diversas partes do Mundo suscitam a necessidade de desenvolver estudos específicos em novas áreas do conhecimento, tais como a sustentabilidade urbana e, dentro desta, a questão da mobilidade sustentável. Em diversas cidades brasileiras, a mobilidade de pessoas é um dos graves problemas de complexa solução. Tempos de viagens crescentes, principalmente os relacionados ao movimento pendular, geram prejuízos econômicos, à qualidade de vida, saúde e meio-ambiente, sendo este último agravado pelo intenso uso de automóveis emissores de gases de efeito estufa. Vasta literatura defende que princípios do urbanismo sustentável como os relacionados a políticas de uso do solo , podem influenciar o comportamento dos deslocamentos dos cidadãos e, consequentemente, proporcionar uma mobilidade urbana mais eficiente e sustentável. Entretanto, observa-se falta de dados técnicos que possibilitem a avaliação de tais características, como ocorre, por exemplo, na Grande Vitória, o que seria importante nos debates para formulação de planos diretores urbanos. Esta pesquisa parte do pressuposto do adensamento como importante medida para a economia de recursos e encurtamento de viagens, ou seja, para o desenvolvimento urbano sustentável. O objetivo foi testar a hipótese de que regiões com maior densidade urbana apresentam um modelo mais sustentável de mobilidade, traduzido em menor uso do automóvel e priorização do deslocamento não motorizado ou de transportes de massa. Com base na última pesquisa oficial de origem e destino realizada na Grande Vitória, em 2007, analisou-se o comportamento de deslocamento dos cidadãos e sua relação com a densidade urbana. Foram utilizados métodos estatísticos, destacadamente com análise multivariada por regressão logística, para obtenção dos resultados. No caso das viagens com motivos de trabalho, houve relação de causa-efeito da densidade urbana para a escolha do modal de transporte público coletivo, confirmando a hipótese de pesquisa, enquanto no caso da escolha modal de dirigir um automóvel ou andar a pé, não houve tal relação. Já nos casos das viagens com demais motivos, tampouco houve relação de causa-efeito para a escolha do modal de dirigir automóvel, mas houve significância, tanto para a escolha de andar a pé, confirmando a hipótese de pesquisa, como para o transporte público coletivo, neste caso em sentido oposto à hipótese de pesquisa. De modo geral, outras variáveis como renda, gênero, quantidade de pessoas da família e idade foram significativas para a escolha do modal das viagens, com destaque para o fato de que quanto mais alta a renda, maior a preferência por dirigir automóvel em detrimento de andar a pé ou utilizar transporte público coletivo, o que gera a necessidade de estudar soluções para proporcionar uma mobilidade sustentável que atinja, também, as classes de renda mais alta. Palavras-chave: mobilidade urbana, mobilidade sustentável, urbanismo sustentável, uso do solo, densidade urbana.
Since the second half of the twentieth century, the concern about the sustainable development and the growth of urban problems in various parts of the world have raised the need to develop specific studies in new areas of knowledge, such as urban sustainability and, within this, the question of sustainable mobility. In several Brazilian cities, the mobility of people is one of the serious problems of complex solution. Increasing travel times, especially those related to the pendulum movement, lead to losses not only in economy, but in quality of life, health and the environment, the latter being boosted by the intense use of cars that emit greenhouse gases. Vast literature argues that principles of sustainable urbanism - such as those related to land use policies - can influence the behavior of citizens' movements and, therefore, provide a more efficient and sustainable urban mobility. However, there is a lack of technical data that allow the evaluation of such characteristics, such as, for example, in Grande Vitória, which would be important in the debates for the formulation of cities master plans. This research is based on the assumption of densification as an important measure for the economy of resources and shortening trips, that is, for sustainable urban development. The objective was to test the hypothesis that regions with greater urban density present a more sustainable model of mobility, translated in less auto-dependence and prioritization of nonmotorized and transit trips . Based on the last official survey of origin and destination held in Grande Vitória in 2007, the behavior of displacement of citizens and their relationship with urban density was analyzed. Statistical methods were used, mainly with multivariate analysis through logistic regression, to achieve the results. In the case of trips with work motivation, there was a cause-effect relation of urban density for the mode choice of transit, confirming the hypothesis of research, while in the case of the mode choice of driving a car or walking, there weren't such a relationship. In the case of non-work trips, there was no cause-effect relationship for the mode choice of driving a car, but there was a significance, both for the choice of walking, confirming the research hypothesis, and for transit riding, in this case in the opposite direction to the research hypothesis. In general, other variables such as income, gender, number of family members and age were significant for the choice of the mode of the trips, highlighting the fact that the higher the income, the greater the preference for driving a car to the detriment of walking or transit riding, which causes the need for studying solutions to provide a sustainable mobility that also reaches the highest income classes
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10073
Aparece nas coleções:PPGAU - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12023_Eduardo Borges junho2018 FINAL - completo.pdf8.31 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons