Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10187
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMill, José Geraldo-
dc.date.accessioned2018-08-24T12:04:31Z-
dc.date.available2018-08-24-
dc.date.available2018-08-24T12:04:31Z-
dc.identifier.citationOLIOSA, Polyana Romano. Associação entre composição corporal, estágio puberal, hábitos de vida e dislipidemia em crianças e adolescentes.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/10187-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleAssociação entre composição corporal, estágio puberal, hábitos de vida e dislipidemia em crianças e adolescentespor
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.memberKUSCHNIR, M. C. C.-
dc.contributor.memberFARIA, C. P.-
dcterms.abstractObjetivo: Analisar o perfil lipídico de crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 18 anos incompletos e sua relação com o estado nutricional, composição corporal, hábitos de vida, puberdade e verificar o impacto do acúmulo de gordura corporal sobre os lipídeos plasmáticos em meninos e meninas. Métodos: Foram estudados 854 escolares de ambos os sexos. As variáveis antropométricas analisadas foram a circunferência da cintura (CC), estatura, peso, percentual de gordura corporal (%G), índice de massa corporal (IMC) e a relação da circunferência da cintura pela estatura (RCE). No sangue foram medidos o colesterol total (CT), lipoproteína de alta densidade (HDLc), lipoproteína de baixa densidade (LDLc) e colesterol não HDL (Não-HDLc). A Idade foi estratificada em 6┣ 9 anos, 9┣ 15 anos e 15┣ 19 anos e os estágios puberais classificados de acordo com a escala de Tanner em 1 (pré-puberal), de 2 a 4 (puberal) e 5 (pós-puberal). Dados descritivos foram analisados utilizando o teste qui-quadrado, variáveis contínuas apresentadas por média ± desvio padrão e porcentagens. As análises foram feitas pelo T-Student, ANOVA (seguida de teste de Tukey) e regressão linear. A significância estabelecida para p<0.05. Resultados: A amostra foi composta por 56% (n=478) de meninos. A idade prevalente foi de 9 a 15 anos (n=584; 68,4%) com média de 11,87± 2,8 anos. Quando analisadas as variáveis de hábitos de vida, o sexo masculino praticava mais atividade física, tanto dentro como fora da Estação Conhecimento (p=0,000) e tinha o hábito de se alimentar com os pais e/ou responsáveis, mais frequente (p= 0,002). Não houve diferença entre os sexos para tempo de tela (p= 0,270), ócio (p= 0,887) e realização de desjejum (p= 0,286). Ao verificar a influência dessas variáveis sobre as frações lipídicas, não obtivemos associação (p> 0,05). O excesso de peso foi observado em 28,2% das meninas e em 20,3% dos meninos (p<0.05). Os meninos classificados nos estágios púbere e pós-púbere apresentaram menores (p<0.01) concentrações de CT, LDLc e Não-HDLc do que os pré-puberes. Os adolescentes com idade entre 15┣ 19 anos apresentaram menores concentrações das frações lipídicas do que aqueles com idade entre 6┣ 9 anos, 9┣ 15 anos (p<0.01). Os níveis médios de CT, LDLc e HDLc foram mais elevados nas meninas porém, sem diferença entre os sexos quando estratificado por estágios puberais (p=0,093) e idade (p=0,797). Os níveis de lipídios plasmáticos mudam acentuadamente durante os estágios de puberdade. Meninos obesos tinham CT, Não-HDLc e LDLc mais elevados em relação aos eutróficos, sendo que nas meninas, apenas o Não-HDLc teve significância (p<0,05). Meninos e meninas com %G e RCE inadequados, apresentaram maior concentração de LDLc e Não-HDLc (p<0,001) quando comparados com crianças que tinham %G e RCE adequados. O %G e RCE associaram-se positivamente com as frações lipídicas (CT e Não-HDLc) em ambos os sexos (p<0,001). O percentual de gordura corporal elevado, contribuiu com que 21% das crianças ou adolescentes estivessem com o colesterol elevado (≥170 mg/dL). Conclusão: O estado nutricional e excesso de gordura corporal, associam-se positivamente ao perfil lipídico aterogênico, impactando com mais evidência no sexo masculino. Não houve incremento de colesterol com a idade e sim, decréscimo a medida que a idade avança assim como com o avançar dos estágios puberais, as frações lipídicas também decaem. Quanto a associação entre hábitos de vida e frações lipídicas, não encontrou-se associações factíveis. Dessa forma, os dados enfatizam a necessidade de controle do peso corporal, principalmente um monitoramento da composição corporal de crianças e adolescentes visando a prevenção de doenças cardiovasculares na vida adulta.por
dcterms.creatorOliosa, Polyana Romano-
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2017-07-25-
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Nutrição e Saúdepor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Nutrição e Saúdepor
Aparece nas coleções:PPGNS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11340_TESE COMPLETA_POLYANA ROMANO OLIOSA.pdf
  Restricted Access
1.15 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.