Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10200
Título: Efeito do tratamento de sementes de tomateiro (Solanum lycopersicum L.) com óleo essencial de Origanum vulgare L. e carvacrol na incidência da murcha de fusarium em mudas.
Autor(es): Gonçalves, Débora Cristina
Orientador: Queiroz, Vagner Tebaldi de
Palavras-chave: Óleo volátil
Controle alternativo
Fusarium oxysporum f.sp. lycopersici
Volatile oil
Alternative control
Data do documento: 23-Fev-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O tomateiro pode ser cultivado em várias regiões devido à aceitabilidade da cultura a diferentes tipos de clima. Todavia, a cultura é suscetível a uma série de doenças que acarreta na redução da produção e produtividade, dentre as quais se destaca a murcha de Fusarium causada pelo agente etiológico Fusarium oxysporum f.sp. lycopersici. O plantio de cultivares resistentes tem se mostrado eficiente contra as raças 1 e 2 desse patógeno, entretanto o surgimento da raça 3 tem comprometido a eficiência do controle genético. Assim, o objetivo do presente estudo foi avaliar o potencial uso do óleo essencial de Origanum vulgare L. e do carvacrol no tratamento de sementes visando inibir a incidência da murcha de Fusarium em mudas de tomateiro. O O. vulgare L. e o carvacrol foram caracterizados por CG-DIC e CG-EM. Nos testes in vitro, o OE de O. vulgare L. (50, 85, 140, 240 e 400 µg mL-1) e o carvacrol (50, 85, 140, 240 e 400 µg mL-1) foram avaliados para determinar as concentrações efetivas mínimas para inibir 50 e 100% (CE50 e CE100) do crescimento micelial do patógeno. Os testes de fitotoxicidade com o OE O. vulgare L. e com o carvacrol foram realizados em sementes de tomateiro. Ensaios in vivo foram realizados em casa de vegetação com sementes tratadas com o OE de O. vulgare L. e do carvacrol nas concentrações de 100, 200, 400, 600, 1.200 µg mL-1, onde foram avaliadas as variáveis índice de velocidade de emergência (IVE), altura das mudas de tomateiro e área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD). Os componentes majoritários do OE de O. vulgare L. foram carvacrol (67,67%), o-cimeno (11,60%) e timol (3,91%). Nos testes in vitro o OE de O. vulgare L. e o carvacrol inibiram 100% de PIC nas concentrações de 400 e 200 µg mL-1, respectivamente. O OE de O. vulgare L. apresentou ação fungicida contra F. oxysporum f.sp. lycopersici na concentração de 400 µg mL-1, enquanto o carvacrol apresentou efeito fungistático em todas as concentrações testadas (200-1.000). As CE50 e CE100 para o OE de orégano foram 134,5 e 323 µg mL-1 e para o carvacrol 62,6 e 166 µg mL-1, respectivamente. Não houve fitotoxidez nas sementes nem em plântulas de tomateiro. Para os testes in vivo, o OE de O. vulgare L. e o carvacrol não apresentaram diferença significativa entre osdois; porém houve diferença entre as concentrações, à medida em que as concentrações foram aumentando, a incidência da doença diminuía. A AACPD foi reduzida em 68% na concentração de 1.200 µg mL-1. Portanto, o OE de O. vulgare L. e o carvacrol podem ser uma alternativa para o tratamento de sementes de tomateiro, e fazer parte de um programa de manejo integrado da murcha de Fusarium em mudas de tomateiro.
Tomato plants can be grown in several regions of the world due to its adaptability to different climate types. This crop is susceptible to a series of diseases that reduce the tomato production, among them Fusarium wilt stands out as one of the most important. Although the use of resistant cultivars has shown to be efective against races 1 and 2 of Fusarium oxysporum f.sp. lycopersici, the same was not observed against race 3. Once the use of resistant cultivars is not completely efficient, it is necessary to search for other alternatives to control Fusarium wilt. Thus the effect of the essential oil of Origanum vulgare L. and carvacrol in the treatment of seeds in order to inhibit the incidence of Fusarium wilt in tomato plants was carried out. O. vulgare L. essential oil and carvacrol were characterized by GC-FID and GC-MS. In vitro tests were performed for O. vulgare L. essential oil at 50, 85, 140, 240 and 400 μg mL-1 and carvacrol at 50, 85, 140, 240 and 400 μg mL-1 to determine EC50 and EC100 values for F. oxyporum. Phytotoxicity tests with O. vulgare L. essential oil and carvacrol were carried out on tomato seeds. In vivo assays were performed in a greenhouse with seeds treated with O. vulgare L. essential oil and carvacrol at 100, 200, 400, 600 and 1,200 μg mL-1 to evaluate emergency velocity index (EVI), height of tomato seedlings and the area below the disease progress curve (AACPD). The major components of O. vulgare L. essential oil were carvacrol (67.67%), o-cymene (11.60%) and thymol (3.91%). O. vulgare L. essential oil showed a fungicidal action against F. oxysporum f.sp. lycopersici at 400 μg mL-1 while carvacrol showed a fungistatic between 200 and 1000 μg mL-1. The EC50 and EC100 values for O. vulgare L. essential oil were 134.5 and 323 μg mL-1 and for carvacrol 62.6 and 166 μg mL-1, respectively. Neither seeds nor tomato seedlings show phytotoxicity after treated with O. vulgare L. essential oil or the carvacrol. AACPD was reduced by 68% when O. vulgare L. essential oil or carvacrol were used at 1,200 μg mL-1. This finding highlights the potential use of O. vulgare L. essential oil and carvacrol as an alternative to the treatment of tomato seeds, and be part of an integrated management program of Fusarium wilt in tomato seedlings.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10200
Aparece nas coleções:PPGAQ - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11833_DISSERTAÇÃO DÉBORA_CRISTINA_GONÇALVES_AGROQQUIMICA_2018.pdf1.13 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.