Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10218
Título: Efeitos da urbanização sobre vazões de pico de enchente
Autor(es): BASTOS, P. C.
Orientador: Mendonça
Data do documento: 24-Ago-2009
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BASTOS, P. C., Efeitos da urbanização sobre vazões de pico de enchente
Resumo: A freqüência e magnitude de ocorrência de enchentes em algumas cidades brasileiras motivaram o desenvolvimento desse estudo, tendo como principal objetivo o maior conhecimento a respeito das interferências das ações de ordenamento territorial sobre questões relacionadas com as inundações urbanas e a investigação dos efeitos negativos provenientes da correlação entre a ocupação antrópica e o sistema de drenagem urbana. Fez-se diagnóstico entre instrumentos de gerenciamento de uso e ocupação do solo e questões relacionadas com enchentes e inundações, tais como os Planos Diretores Urbanos, com o auxílio de ferramentas de geoprocessamento, como Sistemas de Informações Geográficas e estudo de técnicas que considerassem a influência do uso e ocupação do solo para definição de vazões de projetos de sistemas de drenagem. Objetivando quantificar os acréscimos nas vazões de cheia decorrentes dos avanços da urbanização, caracterizada principalmente pelo aumento de áreas impermeáveis, foi realizado estudo de caso na Bacia do Córrego dos Monos, Cachoeiro de Itapemirm, ES, onde pode-se comparar condições atuais e futuras no que tange às vazões de enchentes considerando os métodos Racional, Racional Modificado, do Soil Conservation Service e de Snyder em quatro cenários distintos: pré-urbanização e urbanizações inicial, atual e futura. A partir dos resultados fornecidos pela análise multitemporal da cobertura superficial do solo, realizada através da quantificação das áreas permeáveis e impermeáveis do terreno, podese concluir que o avanço do processo de urbanização na bacia hidrográfica do Córrego dos Monos tem significativo efeito negativo sobre o sistema hidrológico da região. Pode-se observar também como instrumentos de uso e ocupação do solo podem incrementar expressivamente os picos de enchentes nas saídas. Sendo assim, os resultados gerados, através da aplicação dos modelos para simulação de vazões de pico, revelam que a influência do processo de adensamento urbano sobre o incremento dessas vazões é expressivo. As técnicas de geoprocessamento utilizadas apresentaram-se como boas alternativas para minimização das dificuldades de espacialização dos elementos hidrológicos e de uso e ocupação do solo. A integração do software do tipo SIG com os processos de avaliação dos recursos hídricos possibilitou, de forma eficiente, representar a variabilidade espacial e temporal dos elementos envolvidos.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10218
Aparece nas coleções:PPGEA - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3681_Dissertação completa.pdf1.96 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.