Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10251
Título: Análise ecotoxicológica de sedimento do estuário da Baía de Vitória (ES) com diferentes granulometrias.
Autor(es): ROSSI, A. C. S.
Orientador: RIGO, D.
Palavras-chave: Dragagem
monitoramento de sedimento
ecotoxicologia (


)
Data do documento: 13-Jul-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: ROSSI, A. C. S., Análise ecotoxicológica de sedimento do estuário da Baía de Vitória (ES) com diferentes granulometrias.
Resumo: A Baía de Vitória (ES) abrange um sistema estuarino importante, contendo um dos complexos portuários mais importantes do país. As atividades portuárias associadas à intensa urbanização causam prejuízos ambientais para a região, incluindo constantes dragagens e aterros. A principal fonte de contaminação na região é o lançamento de esgoto da drenagem continental. O presente trabalho caracteriza os sedimentos de alguns pontos da baía quanto à localização, granulometria e toxicidade visando contribuir para a análise da legislação sobre monitoramento do sedimento em eventos de dragagem. Durante a remobilização, o sedimento é ressuspenso juntamente com os contaminantes para a coluna dágua podendo gerar impactos tanto no local dragado como no de disposição. Para avaliar a toxicidade do sedimento com diferentes granulometrias foram realizados monitoramentos, incluindo ensaios ecotoxicológicos agudos com a bactéria Vibrio fischeri e crônicos com a microalga Skeletonema costatum. As análises físico-químicas e os testes com Skeletonema costatum foram feitos com elutriato e os testes com Vibrio fischeri com água intersticial. Foram selecionados 9 diferentes pontos de coleta de sedimento com diversos teores de areia e de lama. Os resultados obtidos com os ensaios ecotoxicológicos indicaram correspondência entre a toxicidade do sedimento e a proximidade com as fontes de contaminação. Porém, o mesmo não ocorreu para a relação teor de lama e contaminação. Alguns pontos de coleta, embora o percentual de lama fosse baixo (≤ 10%), apresentaram toxicidade, o que contribui para uma discussão sobre as diretrizes e procedimentos da Resolução Conama 344/04. Sendo assim, foi verificado que não se pode destituir de monitoramento o sedimento de um estuário ou baía apenas pela granulometria - independente do volume a ser dragado - sem se referir à questão da contaminação e da proximidade de fontes de contaminação. Palavras chave: dragagem, monitoramento de sedimento, ecotoxicologia, estuário, granulometria.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10251
Aparece nas coleções:PPGEA - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5202_DISSERTAÇÃO_ Andreia_Formatada_Finalizada.pdf2.21 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.