Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10263
Título: Quantificação e Caracterização do Material Particulado Fino (MP2,5) na Região Metropolitana da Grande Vitória - ES.
Autor(es): MAIOLI, B. G.
Orientador: Reis Jr, N.C.
Coorientador: ALBUQUERQUE, T. T. A.
Palavras-chave: Ar - Poluição - Vitória
Região Metropolitana de (ES)
Data do documento: 31-Ago-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: MAIOLI, B. G., Quantificação e Caracterização do Material Particulado Fino (MP2,5) na Região Metropolitana da Grande Vitória - ES.
Resumo: Material particulado fino, com diâmetro aerodinâmico inferior a 2,5?m (MP2,5), tem sido recentemente considerado como um poluente atmosférico amplamente associado à problemas de saúde uma vez que apresenta maior probabilidade de penetração no sistema respiratório que as partículas grossas. O objetivo deste trabalho foi coletar e analisar o MP2,5 na Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV), Estado do Espírito Santo, por meio de análises gravimétricas e caracterização da composição química, além de identificação das características morfológicas. As amostras de MP2,5 foram coletadas a cada 24h, entre 01 de maio a 23 de junho de 2011, em oito pontos na RMGV, usando amostrador Minivol com filtros de quartzo, os quais foram submetidos a análise gravimétrica para obtenção da massa de MP2,5, refletância para determinação da concentração de black carbon (BC) e analisados por Fluorescência de Raio-X de Energia Dispersiva de (EDX) para identificação e quantificação da composição química elementar das amostras. Por meio da Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) acoplada ao EDX foi possível identificar as características morfológicas das partículas. O modelo receptor Chemical Mass Balance (CMB) da Agência de Proteção Ambiental Americana (USEPA) foi utilizado para identificar e quantificar as contribuições a partir de fontes de emissão para cada local de amostragem. Os perfis de fontes foram selecionados com base no Inventário de Fontes de MP2,5 da RMGV e construídos utilizando-se dados da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), do banco de dados da USEPA (Speciate) e através de análises químicas das amostras coletadas em fontes industriais específicas. As concentrações de MP2,5 médias durante o período variaram entre 6,50?g/m3 e 21,47?g/m3 nas oito localidades avaliadas, sendo a concentração máxima de 24 horas registrada na localidade de Cariacica, de 37,18?g/m3, e a mínima na localidade da Enseada do Suá, de 1,99?g/m3. Imagens obtidas durante este estudo para partículas presentes no MP2,5 indicaram que a maior parte das partículas coletadas são inferiores a 1,0?m. Os resultados de caracterização do MP2,5 possibilitaram a utilização do CMB que identificou as contribuições para os sete grupos de fontes ajustados, sendo de maior contribuição os veículos, seguido das fontes derivadas do solo/pedreiras/construção/ressuspensão, carvão/coque/coqueria e minério/pelotas/aciaria/alto forno e, em menor escala, as fontes de queima de óleo combustível, sinterização e mar.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10263
Aparece nas coleções:PPGEA - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5217_DISSERTACAO BRIGIDA.pdf2.95 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.