Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10267
Título: ANÁLISE DE METODOLOGIAS PARA O CÁLCULO DA DESCARGA DE FUNDO, APLICADA AO RIO DOCE, ES
Autor(es): ALMEIDA, L. M.
Orientador: RIGO, D.
Palavras-chave: Descarga sólida de fundo
Formas de fundo
Metodologias
Rio
Data do documento: 17-Ago-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: ALMEIDA, L. M., ANÁLISE DE METODOLOGIAS PARA O CÁLCULO DA DESCARGA DE FUNDO, APLICADA AO RIO DOCE, ES
Resumo: O conhecimento da descarga de sedimentos de fundo é de primordial importância em vários aspectos da gestão de uma bacia hidrográfica, incluindo, a geomorfologia e a ecologia fluvial, a estabilidade das estruturas de engenharia e condições de navegação. Apesar da sua fundamental importância, a quantidade de variáveis envolvidas na mecânica de transporte de sólidos de fundo, bem como a complexidade das interações entre os processos físicos, torna difícil estabelecer um critério totalmente satisfatório para determinar o transporte sólido de fundo, assim, não há ainda um método universalmente aceito. Com os avanços recentes, novos métodos têm sido propostos para a medição da descarga de fundo. Com isso, o objetivo deste trabalho foi avaliar a adequação de metodologias para o cálculo da descarga de fundo em um trecho do rio Doce, ES. Foram aplicados os métodos da amostragem direta, com um amostrador Helley Smith, as fórmulas propostas por Einstein & Brown (1950), Engelund & Hansen (1967), Ackers & White (1973), Yang (1973) e Van Rijn (1984); métodos do deslocamento de formas de fundo, considerando a velocidade de deslocamento, e a diferença de superfícies do leito; e o método da velocidade do leito medida com um ADCP. Os resultados indicaram um fluxo instável, com leito composto principalmente de areias finas e médias, e formas de fundo em transição. As descargas de fundo estimadas pelos diferentes métodos apresentaram variação de diferentes ordens de magnitude, e as maiores estimativas foram fornecidas pela equação de Yang (1973). A aplicação dos métodos de deslocamento das formas de fundo foi dificultada pelas condições de leito em transição encontrada no local, entretanto, a descarga do leito a partir da velocidade de deslocamento das formas de fundo foi bastante coerente com as condições hidráulicas. As fórmulas de Engelund & Hansen (1967) e Van Rijn (1984), e o método de velocidade do leito apresentaram ótimo desempenho, sendo este último uma alternativa muito promissora para a medição da descarga de fundo. Para confirmar a adequação desses métodos ao rio Doce (ES) sugere-se que sejam realizadas mais medições, em um trecho uniforme, utilizando principalmente os métodos de velocidade do leito e de deslocamento das formas de fundo.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10267
Aparece nas coleções:PPGEA - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5911_Dissertação_LiviaMeneghel_versao3.2.pdf3.45 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.