Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10314
Título: Metodologia para suporte ao processo de enquadramento dos cursos dágua superficiais considerando curvas de permanência de qualidade e processo de autodepuração.
Autor(es): CALMON, A. P. S.
Orientador: REIS, J. A. T.
Palavras-chave: Enquadramento
capacidade de autodepuração
curvas de perman
Data do documento: 28-Jul-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CALMON, A. P. S., Metodologia para suporte ao processo de enquadramento dos cursos dágua superficiais considerando curvas de permanência de qualidade e processo de autodepuração.
Resumo: A ausência de ações no gerenciamento da quantidade e da qualidade da água conduz a situações de estresse hídrico e ambiental, resultando em prejuízos à integridade de ecossistemas hídricos. Como contraponto à ausência de gerenciamento, o enquadramento de corpos dágua apresenta-se como instrumento de planejamento ambiental, integrando os aspectos de qualidade e quantidade do sistema hídrico na bacia hidrográfica. Nesse contexto, o presente trabalho teve como objetivo propor metodologia para suporte ao processo de enquadramento de cursos dágua superficiais, fundamentada em análise conjunta de curvas de permanência de qualidade e na capacidade de autodepuração de rios. O estudo foi conduzido na bacia hidrográfica do rio Pardo, relevante curso dágua para a porção sul do estado do Espírito Santo, considerando o setor de esgotamento sanitário como única fonte de cargas poluidoras. Para composição dos diferentes cenários de simulação da qualidade da água foram estabelecidos três panoramas de tratamento de esgotos associados com distintas eficiências de remoção de Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO), duas condições de abatimento de cargas orgânicas e três horizontes de análise (2014, 2020 e 2030). Foi aplicado o modelo QUAL-UFMG para avaliação das capacidades de autodepuração dos cursos dágua da bacia hidrográfica do rio Pardo, tendo sido simulados os parâmetros DBO e Oxigênio Dissolvido (OD), considerando-se como vazão de referência a vazão com permanência de 90% (Q90). Foram produzidas curvas de permanência de qualidade para o parâmetro DBO5,20, associadas aos padrões ambientais estabelecidos pela Resolução CONAMA Nº 357/2005 para rios Classes 1, 2 e 3. A aplicação da metodologia considerada para a condução do presente trabalho permitiu estimativa das probabilidades de compatibilidade entre as condições de qualidade do rio Pardo, nas diferentes seções de controle consideradas, e os padrões ambientais. Verificou-se, adicionalmente, que a incorporação das capacidades de autodepuração dos rios da bacia hidrográfica do rio Pardo produziu abatimentos de parcelas da carga orgânica em níveis que influenciariam na freqüência de atendimento de padrões de qualidade relativos ao parâmetro de DBO5,20, afetando a perspectiva de enquadramento dos cursos dágua da bacia. Os resultados obtidos mostram a relevância da incorporação da modelagem da autodepuração na avaliação da qualidade de corpos dágua superficiais para a implementação do enquadramento e, adicionalmente, indicam que a visão não determinística oferecida pelas curvas de permanência facilitaria o processo de tomada de decisão acerca do estabelecimento de metas progressivas para a efetivação do enquadramento.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10314
Aparece nas coleções:PPGEA - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9262_Dissertação - Ana Paula Santos Calmon.pdf9.48 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.