Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10318
Título: RECUPERAÇÃO DE MICROALGAS CULTIVADAS EM EFLUENTE DE TRATAMENTO ANAERÓBIO DE ESGOTO POR PROCESSO DE COAGULAÇÃO-FLOCULAÇÃO
Autor(es): FRANCISCO, S. A.
Orientador: CASSINI, S. T. A.
Palavras-chave: microalgas
efluente anaeróbio
coagulação-floculação
Data do documento: 31-Mar-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FRANCISCO, S. A., RECUPERAÇÃO DE MICROALGAS CULTIVADAS EM EFLUENTE DE TRATAMENTO ANAERÓBIO DE ESGOTO POR PROCESSO DE COAGULAÇÃO-FLOCULAÇÃO
Resumo: A recuperação da biomassa microalgácea (BMA) é uma etapa crítica no processo de separação de biomassa para diversas aplicações, principalmente na produção de combustíveis. Entre os processos existentes para a separação da biomassa do meio aquoso, a floculação tem sido escolhida como o processo mais economicamente vantajoso. O objetivo deste trabalho foi avaliar coagulantes alternativos para recuperação de BMA crescida em efluente anaeróbio e caracterizar a qualidade dos efluentes após recuperação. Tanino modificado, amido catiônico e sulfato de alumínio promoveram remoção de mais de 90% de biomassa em concentrações maiores que 80 mg/L, na faixa de pH de 7 a 10, sendo que o amido catiônico foi o coagulante que promoveu a maior remoção de biomassa nos pHs avaliados. O pó das sementes de Moringa (Moringa oleífera) e a goma de quiabo (Hibiscus esculentus) promoveram apenas remoções de, em média, 50%, na faixa ácida de pHs avaliados. Os efluentes gerados após sedimentação da biomassa apresentaram remoções maiores que 80% para fósforo e nitrogênio e maiores que 50% para DBO e DQO, utilizando-se os coagulantes sulfato de alumínio, tanino modificado e amido catiônico. A biomassa recuperada a partir do uso de amido catiônico apresentou maior biodegradabilidade em relação às biomassas recuperadas a partir do uso de sulfato de alumínio e de tanino modificado. A biomassa recuperada a partir do sulfato de alumínio (BMA-AS) apresentou maiores valores de CE50, enquanto a BMA recuperada a partir dos polímeros orgânicos naturais à base de tanino e amido apresentaram 50% menores que o valor apresentado para a BMA-AS. O sulfato de alumínio, utilizado como referencial na recuperação de microalgas, pode ser substituído por coagulantes naturais, para uma faixa ampla de pH, sem diminuir a eficiência de remoção de biomassa.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10318
Aparece nas coleções:PPGEA - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9980_Dissertação_SaraFrancisco.pdf3.09 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.