Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10324
Título: Correlação entre percepção do incômodo e exposição ao material particulado presente na atmosfera e sedimentado.
Autor(es): MELO, M. M.
Orientador: SANTOS, J. M.
Coorientador: REISEN, V. A.
Palavras-chave: Poluição do ar
Incômodo
Poeira
Material Particulado
Regr
Data do documento: 30-Jun-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: MELO, M. M., Correlação entre percepção do incômodo e exposição ao material particulado presente na atmosfera e sedimentado.
Resumo: O material particulado é um poluente atmosférico que provoca danos à saúde humana, dos animais e das plantas, afeta o clima além de ser causa potencial de incômodo quando se sedimenta em objetos, materiais e superfícies de uso cotidiano. Em regiões urbanas o material particulado se origina principalmente de fontes industriais, veiculares, suspensão do solo e construção civil que por meio dos efeitos do vento (direção e velocidade) promovem a dispersão e sedimentação das partículas. Esta tese estuda e avalia a percepção do incômodo causada por material particulado em regiões metropolitanas e industrializadas a fim de identificar os fatores determinantes do incômodo percebido e sua relação com níveis de material particulado (PM10, PTS e Partículas Sedimentadas). Os dados foram coletados por meio de pesquisas de opinião realizadas face a face e por telefone no período de 2011 a 2014 assim como dados de concentração dos poluentes medidos nas estações fixas de monitoramento da qualidade do ar. Os dados foram analisados por meio da aplicação de técnicas estatística multivariada, análise de correspondência múltipla, análise de componentes principais e regressão logística simples e múltipla. Os resultados mostraram que aproximadamente 90% dos respondentes estão incomodados com a poluição do ar, principalmente pela presença de poeira. De forma geral as variáveis indicadas como determinantes do incômodo são, importância da qualidade do ar, percepção do risco industrial, percepção da poluição, ocorrência de problemas na saúde, gênero e idade. Na análise entre os relatos de incômodo obtidos na pesquisa face a face e a concentração de PM10 e PTS para as sub-regiões da RGV observa-se probabilidade significativa de relatos de incômodo mesmo quando não expostos à concentração desses poluentes, indicando que o incômodo está muito mais relacionado à percepção da poeira. Esta hipótese se confirma na análise entre a percepção do incômodo relatada na pesquisa painel e as taxas de deposição de partículas medidas mensalmente. A partir daí foi possível estimar o percentual de indivíduos dado os aumentos gradativos na taxa de partículas sedimentadas para cada sub-região. Estes resultados contribuem cientifica e socialmente no sentido de fornecer um guia com diretrizes para subsidiar a definição de um padrão de qualidade do ar para o incômodo causado por partículas sedimentáveis na região metropolitana da Grande Vitória. Finalmente, por meio de uma análise do efeito combinado de diferentes formas de medir o material particulado foi possível estimar parâmetros para cálculo do risco relativo de incômodo para cada poluente e concluir que o valor mais preciso entre os riscos relativos estimados se refere às partículas sedimentadas.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10324
Aparece nas coleções:PPGEA - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9265_Tese Versão final 05 ficha.pdf6.07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.