Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10331
Título: Gaseificação da biomassa fecal para produção de biocombustível: Estudo da conversão termoquímica e avaliação exergoecológica
Autor(es): Dalvi, E. A.
Orientador: GONCALVES, R. F.
Coorientador: Márcio
Data do documento: 7-Dez-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: Dalvi, E. A., Gaseificação da biomassa fecal para produção de biocombustível: Estudo da conversão termoquímica e avaliação exergoecológica
Resumo: O presente trabalho faz um estudo da biomassa fecal humana como fonte de energia alternativa renovável. O Poder Calorífico médio e o Poder Calorífico em função da ingestão calórica permitiram a determinção do potencial energético dessa biomassa em nível mundial, por continente e país. Uma análise das fezes de outros animais também foi realizada e comparada com as fezes humanas sob o ponto de vista calorífico, utilizando o conceito de Índice de Energia Rejeitada (IER), que é a energia rejeitada por quilode massa corporal, obtendo-se, para o ser humano, o menor dos valores. O uso das fezes humanas em um reator de bancada simulando um gaseificador contra-corrente permitiu obter resultados e conclusões preliminares para aplicação posterior em um gaseificador do tipo cocorrente, com capacidade para20 kW, com teores de umidade variando de 0%, 10% e 20% e diâmetros de partícula de 15, 30 e 50 mm. Foi também realizado um estudo de viabilidade da utilização da tecnologia da gaseificação como um sistema alternativo para o tratamento de esgoto, tomando-se como referência o conceito de exergia por meio de dois parâmetros de referência: eficiência exergética ambiental, definida como a razão da exergia do efeito útil do processo e a exergia total consumida dos insumos utilizados no processo, e o índice exergético de renovabilidade que é a razão entre as exergias dos produtos e a soma das exergias não renováveis e exergias destruídas. Por fim, foi montada uma tabela com os parâmetros eficiência exergética ambiental e índice de renovabilidade encontrados neste trabalho e aqueles determinados por BEJARANO (2009) para outras três tecnologias de tratamento de esgoto: Estação de Tratamento de Esgoto Barueri (Brasil), RAFA-Lagoa Facultativa (Brasil) e Estação de Tratamento de Esgoto Cañavelarejo (Colômbia). Os resultados, embora ilustrativos, indicam que a gaseificação pode se tornar uma etapa bastante vantajosa para utilização em um sistema de tratamento de esgoto.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10331
Aparece nas coleções:PPGEA - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9438_TESE DOUTORADO - ELIAS A. DALVI - 07-12-2015 - PPGEA.pdf4.43 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.