Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10367
Título: DISCURSO CAMUFLADO: UMA ANÁLISE CRÍTICA E MULTIMODAL DO ANÚNCIO "CONFISSÕES DE CAMUFLAGEM"
Autor(es): CAVALCANTI, C. R.
Orientador: TOMAZI, M. M.
Data do documento: 30-Jun-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CAVALCANTI, C. R., DISCURSO CAMUFLADO: UMA ANÁLISE CRÍTICA E MULTIMODAL DO ANÚNCIO "CONFISSÕES DE CAMUFLAGEM"
Resumo: No mundo da comunicação, compreender e explicar o impacto de um discurso é um empreendimento complexo. Há um estreitamento de fronteiras no qual a relação tempo-espaço desafia as estabilidades sociais. As representações sociais e as interações acontecem além das comunidades geográficas, visto que novas comunidades virtuais são criadas nas redes sociais, muitas vezes de acordo com interesses econômicos e hábitos de consumo. Algumas perguntas norteiam esta pesquisa: Como são criados esses grupos e quem os domina? Sob qual critério são delineados e quem os define? Qual é o papel da mídia na sociedade e como os anúncios mantêm a posição das empresas no controle do poder? Quais estratégias discursivas são empregadas para tal finalidade? Este trabalho, ao procurar respostas para essas questões, analisa como o discurso de um anúncio em vídeo, veiculado somente no YouTube, fortalece a dominação de um setor de mercado sob uma empresa, ao mesmo tempo em que constrói uma representação social positiva e responsável desta. A Dermablend lançou uma campanha intitulada Confissões de Camuflagem. Para o nosso corpus, escolhemos três anúncios produzidos por uma agência publicitária e dois vídeos caseiros postados como resposta à proposta da campanha. Essa escolha justifica-se pelo fato de os vídeos fornecerem exemplos de uma nova forma de prática social discursiva, na qual o gênero anúncio é reconfigurado. Pretendemos mostrar como as características constitutivas do gênero reforçam a ideologia da beleza por meio da construção da representação social e da manutenção da hegemonia das elites. Partimos da hipótese de que tais discursos são manipuladores, controlando o comportamento dos consumidores que se rendem à ideologia da indústria cosmética, mas sentem-se livres e responsáveis por suas escolhas. Apoiamo-nos na abordagem sociocognitiva da Análise Crítica do Discurso (VAN DIJK, 1998, 2012 a, 2012b, 2014), aliada à teoria da Multimodalidade (KRESS; VAN LEEUWEN, 2001, 2006, VAN LEEUWEN 2008, KRESS 2010). Os resultados apontam para o fato de que houve a manipulação do comportamento do consumidor, assim como a inclusão de um grupo minoritário que, anteriormente, não tinha a legitimidade para fazer parte da comunidade de usuários de produtos de beleza, contribuindo para a posição hegemônica da empresa. Palavras-chave: Análise Crítica do Discurso. Multimodalidade. Anúncio Publicitário.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10367
Aparece nas coleções:PPGEL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9984_Dissertação - Versão Final20160817-150124.pdf2.71 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.