Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10387
Título: METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DE RISCO DE ACIDENTES NA COLHEITA FLORESTAL
Autor(es): BERMUDES, W. L.
Orientador: MINETTE, L. J.
Data do documento: 25-Jun-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BERMUDES, W. L., METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DE RISCO DE ACIDENTES NA COLHEITA FLORESTAL
Resumo: Na colheita florestal, independentemente do grau de mecanização, o trabalho humano estará sempre presente, o que exige um planejamento adequado para diminuir os índices de acidentes e de doenças ocupacionais que se acumularam no Brasil. No período de 2007 a 2016, ocorreram um total de 18.934 registros em atividades de floresta plantada no país. Apesar de uma variedade de técnicas de avaliação de risco disponíveis na literatura, o setor florestal, em especial a colheita florestal, carece de um processo próprio que possa realizar esse planejamento e que seja de fácil compreensão e aplicação. Esse trabalho tem por objetivo desenvolver um Processo de Avaliação de Risco em Colheita Florestal (PARCF) de forma a proporcionar e facilitar uma gestão adequada dos riscos presentes no desenvolvimento de atividades florestais, e indica, ainda, o estabelecimento de indicadores para mensurar e monitorar as ações de segurança e saúde no trabalho. O PARCF baseou-se na NBR ISO 31000:2018 e em demais técnicas de avaliação descritas na NBR ISO 31010:2012, a partir da identificação, análise e avaliação dos riscos de acidente e doenças ocupacionais em dois estudos empíricos caracterizando-se como pesquisa ação, além de incluir a participação dos trabalhadores por meio de questionário específico aplicado a uma amostragem piloto. Incluiu a análise de fatores edáfico meteorológico, florestais, humano e social, organizacionais, operacionais e econômicos da colheita florestal, aspectos legais oriundos das Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho no Brasil, e emprega uma matriz como ferramenta de apoio para avaliação do nível de risco. O PARCF foi estabelecido para que sua aplicação interprete previamente os fatores influentes da colheita florestal, as etapas da tarefa, seus riscos, fontes, causas, consequências, legislação aplicável e nível de risco, de forma a adotar medidas para garantir maior segurança nos locais de trabalho. O PARCF pode ser aplicado no planejamento prévio à atividade de colheita florestal ou utilizado nas frentes de trabalho como orientador para as organizações, para implantação de ações mais adequadas de controle, conforme apresentado nos estudos de caso aplicado em uma empresa de fomento florestal com atividade semimecanizada e em uma indústria de celulose em atividades de colheita mecanizada, que utilizava um processo de avaliação de risco próprio que quando comparado ao PARCF demonstrou ineficiência na identificação de controles de gestão. Foram estabelecidos também indicadores reativos e proativos para mensurar e monitorar o desempenho em saúde e segurança na colheita florestal. A criação e aplicação de um processo de avaliação de risco na colheita florestal favorecem o trabalhador e a organização na redução de acidentes, e, associado a métodos de mensuração e monitoramento do desempenho da saúde e segurança do trabalho, pode contribuir para o aprimoramento do método de gerenciamento de atividades desse importante segmento. Palavras-chave: Processo produtivo. Segurança do trabalho. Técnicas e operações florestais.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10387
Aparece nas coleções:PPGCF - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12161_Tese WANDERSON 2018.pdf1.06 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.