Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10423
Título: OS DOIS LADOS DE UM MURO: UM ESTUDO DOS COMENTÁRIOS DAS MANIFESTAÇÕES DE 2016
Autor(es): SOUZA, A. M. M.
Orientador: TOMAZI, M. M.
Coorientador: ALVES JUNIOR, M. A.
Data do documento: 30-Ago-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SOUZA, A. M. M., OS DOIS LADOS DE UM MURO: UM ESTUDO DOS COMENTÁRIOS DAS MANIFESTAÇÕES DE 2016
Resumo: O processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff está inserido em um cenário político brasileiro bastante controverso. Um dos momentos de maior divergência de opiniões para a população foi a construção de um muro de contenção em frente ao prédio da Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Este marco tornou concreta a divisão preexistente da sociedade. Este contexto sociopolítico se tornou assunto em debates pessoais e virtuais, em que Facebook serviu como espaço de divulgação de opiniões. Diante deste cenário, esta pesquisa busca analisar as manifestações discursivas realizadas por grupos pró e contra a ex-presidente Dilma Rousseff, em meio a comentários publicados em um post veiculado na página do jornal O Globo, no Facebook. Para isso, adotamos uma metodologia de análise qualitativa, visando um critério de amostragem, a qual apresentamos alguns comentários que revelam uma estratégia recorrente nos demais. Objetivamos discutir as estratégias linguísticas que promovem a autoapresentação positiva do intragrupo e outro-apresentação negativa do exogrupo. Tendo isto em vista, utilizaremos como aporte teórico a abordagem sóciocognitiva de van Dijk (1999a; 2011a; 2012a; 2012b; 2012c; 2014; 2016), a fim de aprofundarmos nossas reflexões e análises do corpus, discutindo a estratégia de polarização discursiva. Além disso, adotamos as reflexões sobre as noções de Facebook postuladas por Malini (2013; 2016), Castells (2004; 2014) e Barton & Lee (2015), Lima (2015) para compreendermos melhor o suporte utilizado em nossa pesquisa. Os resultados obtidos evidenciam que as construções argumentativas utilizadas pelos atores reforçam a polarização, impedindo a promoção do debate construtivo sobre os motivos que levam os grupos a se oporem. Deste modo, os comentaristas expressam a polarização discursiva, preocupando-se principalmente com a colocação positiva do intragrupo, ao passo que almeja desqualificar o exogrupo. Palavras Chave: Análise Crítica do Discurso, Polarização Discursiva, Impeachment, Facebook.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10423
Aparece nas coleções:PPGEL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12475_Dissertação Anna Maria.pdf2.58 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.