Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10424
Título: A representação social do estupro coletivo em notícias e em comentários do Jornal Extra
Autor(es): Carriço, Sheila da Silva
Orientador: Tomazi, Micheline Mattedi
Data do documento: 4-Set-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O presente estudo está voltado para um dos principais problemas que vem afetando a sociedade brasileira, como o crescimento dos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes. Esse problema tem gerado outro, que é a forma como os casos de estupro são noticiados pela mídia jornalística. Embora se saiba que a notícia deva assumir um perfil mais informativo, o que muitas vezes se observa é a construção de opinião que tende a atrair o leitor a desenvolver pensamentos e discursos semelhantes ao fato noticiado. Nesse sentido, o nosso objetivo principal é analisar a construção discursiva do gênero notícia e comentário a respeito da representação social de uma adolescente vítima de estupro coletivo no Rio de Janeiro. Para isso, selecionamos como corpus deste trabalho cinco notícias e cinquenta comentários veiculados no jornal online Extra, no período de maio de 2016. Para a realização das análises, usamos os métodos qualitativos e interpretativos. Do ponto de vista teórico, amparamo-nos na Análise Crítica do Discurso, segundo a perspectiva sociocognitiva de van Dijk (2008, 2010, 2012, 2015, 2016) e nos modos de operação de ideologia de Thompson (2011). Além disso, incluímos os estudos sobre gênero social e violência contra a mulher conforme as reflexões dos pesquisadores Natale (2014); Tomazi; Natale (2015); Porto (2010); NAZAR, (2011); Butler (1990); Beauvoir (1970); Cameron (1998); Tannen (1990). Os resultados nos mostram que o discurso do jornalista, enquanto ator social, está fundamentado em crenças patriarcais e machistas ao representar socialmente a adolescente estuprada. Dessa forma, o seu discurso tende a minimizar a culpa do agressor e transferir a responsabilidade para a vítima do estupro.
The present study focuses on one of the main problems affecting Brazilian society, such as the increase in cases of sexual violence against children and adolescents. This problem has spawned another, which is how rape cases are reported by the news media. Although it is known that the news should assume a more informative profile, what is often observed is the construction of opinion that tends to attract the reader to develop thoughts and speeches similar to the fact reported. In this sense, our main objective is to analyze the discursive construction of the news genre and comment on the social representation of a teenager victim of collective rape in Rio de Janeiro. For that, we selected as corpus of this paper five news and fifty comments published in the online journal Extra, in the period of May 2016. For the analysis, we use qualitative and interpretative methods. From the theoretical point of view, we rely on the Critical Discourse Analysis, according to the sociocognitive perspective of van Dijk (2008, 2010, 2012, 2015, 2016) and Thompson's modes of operation of ideology (2011). In addition, we include studies on social gender and violence against women according to the reflections of researchers Natale (2014); Tomazi; Natale (2015); Porto (2010); Nazar, (2011); Butler (1990); Beauvoir (1970); Cameron (1998); Tannen (1990). The results show that the journalist's speech, as a social actor, is based on patriarchal and macho beliefs in representing the raped teenager socially. In this way, his speech tends to minimize the offender's guilt and transfer responsibility to the rape victim.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10424
Aparece nas coleções:PPGEL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_12500_dissertação.pdf1.81 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.