Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10431
Título: AGIR LOCALMENTE, RESISTIR GLOBALMENTE: CONEXÃO ESPÍRITO SANTO (BRASIL) E YASUNÍ (EQUADOR) POR ÁREAS LIVRES DE PETRÓLEO.
Autor(es): CASTRO, J. S.
Orientador: LOSEKANN, C.
Data do documento: 6-Ago-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CASTRO, J. S., AGIR LOCALMENTE, RESISTIR GLOBALMENTE: CONEXÃO ESPÍRITO SANTO (BRASIL) E YASUNÍ (EQUADOR) POR ÁREAS LIVRES DE PETRÓLEO.
Resumo: A presente dissertação é fruto de uma pesquisa qualitativa, operacionalizada por observações de campo, pesquisa documental e entrevistas em profundidade semiestruturadas. Visando uma intersecção entre a literatura do Confronto Político com os conflitos ambientais, objetiva-se contribuir para o conhecimento sobre o processo de contestação dos afetados pela indústria do petróleo e gás na América Latina. Para tanto, a pesquisa está desenhada de forma a compreender não estritamente os aspectos locais, mas as intermediações entre o local e o global, tendo em vista os fluxos reivindicativos de atores reunidos em torno do enquadramento afetados pela indústria do petróleo e gás que têm atravessado países latinoamericanos em verdadeiras redes de ativismo ambiental. Nesse sentido, buscamos compreender de que forma a contestação local é alçada para arenas internacionais, gerando um processo transnacional de confronto. A explicação se fundamenta na análise empírica da construção da Campanha Nem um poço a mais no estado do Espírito Santo, que envolveu diversas idas à campo acompanhando suas performances de confronto, a fim de verificar a ocorrência da ativação de certos mecanismos. Compreendemos que diferentes valorações e práticas estão envolvidas no processo de mobilização e o ator intermediário, ou broker, possui uma grande capacidade de vincular as demandas locais com enquadramentos mais gerais que possuam projeção global, assim colaborando na construção de significados e resoluções de necessidades, de direitos, num sentido emancipatório, em suma, de alternativas societárias. Por fim, nossas conclusões são de que as lutas em questão colocam um elemento não considerado na agenda do Confronto Político, qual seja, apresentam confrontos que são de natureza ontológica, onde mundos distintos estão em disputa. Palavras-chave: Conflitos Ambientais; Confronto Político; Neoextrativismo; Afetados por petróleo e gás; Redes de ativismo ambiental.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10431
Aparece nas coleções:PPGCSO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_12304_Dissertação.pdf145 BAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.