Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10558
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorLopes, José Carlos-
dc.date.accessioned2018-12-20T13:23:38Z-
dc.date.available2018-12-20-
dc.date.available2018-12-20T13:23:38Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/10558-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titlePropagação e avaliação de passifloráceas submetidas a estresses bióticos e abióticospor
dc.typedoctoralThesisen
dc.subject.udc63-
dc.subject.br-rjbnMaracujá-
dc.subject.br-rjbnFisiologia vegetal-
dc.subject.br-rjbnPlantas - Propagação-
dcterms.abstractPassiflora mucronata é uma planta nativa do cerrado, com característica de resistência à fitopatógenos do solo, apresentando-se como uma alternativa para o controle da fusariose e da podridão do colo, doenças causadas por fungos do gênero Fusarium, Fusarium oxysporum f. sp. passiflorae e Fusarium solani. Essas doenças podem causar diminuição da produtividade, assim como danos nos tecidos vegetais e morte prematura das plantas infectadas. O uso de porta-enxertos resistente mostra-se de grande importância e interesse para o controle das doenças causadas por patógenos de solo. Com isso, objetiva-se com este estudo analisar a propagação seminífera e vegetativa do P. mucronata, com a caracterização morfológica da planta, frutos, sementes e plântulas e estudar o enraizamento de estacas tratadas com ácido indol-3-butírico (AIB); analisar a resistência aos estresses salino e hídrico, com induções com cloreto de potássio (KCl), cloreto de sódio (NaCl) e polietileno glicol (PEG-6000) testar e analisar a tolerância e a resistência de nove genótipos de P. mucronata a duas espécies de fungos do gênero Fusarium: F. oxysporum f. sp passiflorae e F. solani. O experimento será conduzido em casa de vegetação com estacas obtidas por propagação vegetativa. O inóculo será produzido através de micélios cultivados em placas de Petri contendo meio batata-dextrose-agar (BDA), à 25 ºC em luz constante. Em seguida a suspensão de esporos serão inoculadas nas plantas de serão avaliadas os sintomas provenientes da infecção dos fungos. Após a conclusão de todas as etapas propostas, espera-se, obter informações técnicas sobre a propagação de P. mucronata, por estaquia; obter plantas tolerantes ou resistentes à F. oxysporum f. sp passiflorae e F. solani, com potencial para uso de porto-enxerto em espécies de maracujazeiros comercias que não possuem resistência à fusariose e podridão do colo e; auxiliar em novas pesquisas, visando um maior conhecimento da espécie e o impacto que esta poderá ter no agronegócio e na produção do maracujá.por
dcterms.creatorCorreia, Arêssa de Oliveira-
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2018-07-26-
dcterms.subjectMaracujá de restingapor
dcterms.subjectEscarificaçãopor
dcterms.subjectMecânicapor
dcterms.subjectTérmicapor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Produção Vegetalpor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseDoutorado em Produção Vegetalpor
dc.contributor.refereeFerreira, Adésio-
dc.contributor.refereeOliveira, Regina Gonçalves dos Santos-
dc.contributor.refereeBernardes, Paula Mauri-
dc.contributor.advisor-coAlexandre, Rodrigo Sobreira-
Aparece nas coleções:PPGPV - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11072_Aressa de Oliveira Correa.pdf2.11 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.