Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10560
Título: Avaliação bromatológica e pós-colheita de frutos de goiaba
Autor(es): PEREIRA, S. M. A.
Orientador: FERREIRA, A.
Palavras-chave: Qualidade da polpa
Vida útil de prateleira
Caracterização
Data do documento: 28-Fev-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PEREIRA, S. M. A., Avaliação bromatológica e pós-colheita de frutos de goiaba
Resumo: Brasil, atualmente é considerado o terceiro maior produtor mundial de frutas e um dos maiores produtores de goiaba no mundo. A goiaba (Psidium guajava L.) é uma fruta considerada como uma das melhores fontes de vitamina C e apresenta grande importância social e econômica, dada a sua ampla e variada forma de utilização, que vai desde o consumo in natura até a utilização industrial para a fabricação de sucos, polpas, néctares, geleias, sorvetes dentre outras. No entanto, é um fruto climatérico altamente perecível, que em temperatura ambiente tem vida útil muito reduzida. Neste caso, o uso de embalagens flexíveis aliadas à refrigeração são métodos utilizados para aumentar a vida útil e manter a qualidade dos frutos pós-colheita. A qualidade da goiaba é devido principalmente às suas características químicas que podem variar de acordo com as cultivares escolhidas, solo, tratos culturais e estádio de maturação do fruto. Além das condições climáticas como o excesso de chuvas e temperaturas elevadas que tornam os frutos mais aquosos, com baixos teores de açúcares e reduzido teor de ácido ascórbico. Diante do exposto, o presente estudo teve por objetivo avaliar a bromatologia e a pós-colheita de frutos Psidium guajava L. Os resultados do estudo foram divididos em dois capítulos: no primeiro, estudou-se a influência de diferentes temperaturas e diferentes tipos de embalagens, na qualidade pós-colheita de dez genótipos de goiabeiras, analisadas de cinco em cinco dias, durante vinte dias através das medidas, de umidade (UM), potencial hidrogeniônico (pH), sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT), vitamina C. (VIT. C), no segundo, foi estudada a diversidade de 21 genótipos de goiabeira quanto a caracteres bromatologicos como: UM, pH, BRIX-SS, AT, VIT. C, proteína (PTN); pectina (PEC), Açúcar total (ACT) e Açúcar redutor (ACR), durante as safras de 2015, 2016 e 2017. Os resultados apontaram que quanto menor a temperatura maior a vida útil de prateleira dos frutos, e quando o interesse é a exportação de frutos, a melhor temperatura foi a de 4ºC, independente da presença ou não de embalagens. Os genótipos CV, CVII, CX, CXI, CXII, CVXII, CLM, PS e SAS são os mais indicados para a exportação, por apresentarem os menores valores de Brix-SS, portanto, uma menor velocidade de maturação. Os genótipos CBLG, CLG, PL e SC foram os mais indicados para o mercado indústrial e os genótipos CBRM e RX indicados para o consumo in natura. Os genótipos CBLG, CX, CSLG, CLM, CRMII e CBRM apresentaram os maiores teores de vitamina C.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10560
Aparece nas coleções:PPGPV - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9002_Sara Maria Andrade Pereira.pdf7.41 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.