Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10570
Título: CARACTERIZAÇÃO MORFOFISIOLÓGICA DE POPULAÇÕES DE CONILON PROVENIENTES DE PROGENITORES CONTRASTANTES PARA TOLERÂNCIA À SECA
Autor(es): SILVA, F. D.
Orientador: SOARES, T. C. B.
Palavras-chave: Cafeeiro
déficit hídrico
fisiologia
melhoramento genético
Data do documento: 12-Jul-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA, F. D., CARACTERIZAÇÃO MORFOFISIOLÓGICA DE POPULAÇÕES DE CONILON PROVENIENTES DE PROGENITORES CONTRASTANTES PARA TOLERÂNCIA À SECA
Resumo: Objetivou-se estudar duas populações provenientes de cruzamentos de clones de Coffea canephora var. Conilon contrastantes quanto à tolerância à seca (76- tolerante x 04-susceptível e 76x48-sucesptível), examinando as variações em um conjunto de características morfológicas, fotossintéticas e na concentração de compostos nos tecidos foliares quando submetidas à seca, a fim de se identificar os genótipos superiores e selecionar as variáveis mais discriminatórios para tolerância à seca. O experimento foi conduzido sem irrigação, na Fazenda Experimental do Incaper, em Marilândia ES. As avaliações ocorreram em julho/2015, dezembro/2015 e abril/2016, sendo esse último, o período de seca mais crítico. O clone 76 apresentou superioridade entre os clones progenitores, e a população (pop.) 76x04 exibiu melhores características morfofisiológicas, em relação à pop. 76x48, com maior concentração de clorofilas, carotenoides, menor redução na área foliar total (AFT), na fotossíntese (A), condutância estomática (gs) e na taxa de transporte de elétrons (ETR). Também apresentou menor eficiência do uso da água (A/gs), o que indica maior uso efetivo da água. Verificou-se grande variabilidade entre e dentro das populações. Foi feita a análise de agrupamento pelo método hierárquico de ligação média entre grupos (UPGMA), onde constatou-se a existência de 14 grupos, em julho/2015 e abril/2016, e 16 grupos em dezembro/2015 para a pop. 76x48, e sete grupos em julho e dezembro/2015, e seis grupos em abril de 2016 para a pop. 76x04. Pela comparação entre as médias dos grupos obtidos, identificamos os grupos 9 e 10 da pop. 76x48, e os grupos 2 e 5 da pop. 76x04 como superiores para tolerância à seca. A área foliar específica (AFE), comprimento entrenódio (CE), ETR, A, gs e A/gs foram as variáveis mais importantes para discriminar os indivíduos/grupos quanto ao desempenho sob condições de estresse hídrico.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10570
Aparece nas coleções:PPGGM - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12385_Dissertação Final Francisco Davi da Silva.pdf1.27 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.