Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10606
Título: IMPACTO DO CRESCIMENTO ECONÔMICO E INVESTIMENTO EM INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTE NO CONSUMO ENERGÉTICO, EMISSÕES DE DIÓXIDO DE CARBONO E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL.
Autor(es): NICOLAU, O. N. B.
Orientador: CHAVES, G. L. D.
Palavras-chave: Consumo Energético
Emissão de CO2
Setor de Transporte
Mod
Data do documento: 27-Ago-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: NICOLAU, O. N. B., IMPACTO DO CRESCIMENTO ECONÔMICO E INVESTIMENTO EM INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTE NO CONSUMO ENERGÉTICO, EMISSÕES DE DIÓXIDO DE CARBONO E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL.
Resumo: O setor de transporte é um setor chave para o desenvolvimento de um país, posto que ele dá suporte para o desenvolvimento econômico e social de uma nação. Todavia, é um setor que demanda muita energia oriunda de combustíveis fósseis gerando volumes considerados de gases do efeito estufa. Em 2016, o setor foi responsável por 29% das emissões de CO2 no Brasil, sendo 90% desse total relativo ao modo rodoviário. Dada a importância do setor e seu potencial poluidor, este trabalho tem como finalidade avaliar o consumo energético e, consequentemente na emissão de CO2 do modo rodoviário no Brasil. Para isso, o método System Dynamics (SD) foi escolhido. Inicialmente, as relações entre frota de veículos, PIB (global e do setor de transporte) e investimentos em infraestrutura rodoviária (extensão de vias) foram estruturadas por meio de um diagrama de causa e efeito e posteriormente elaborado um diagrama de estoque e fluxo. Com o modelo proposto, foram estabelecidos 15 cenários, os quais foram avaliados em um horizonte de onze anos, compreendidos entre 2016 e 2026, sob diferentes perspectivas. Os resultados evidenciaram que a variação da frota de veículos rodoviários tem maior influência no consumo energético e, consequentemente, nas emissões de CO2, quando comparado com a composição de uso de combustíveis e investimentos em pavimentações de vias. A variável de intensidade energética teve a maior variação nos cenários avaliados. Esse dado mostra que há um ganho significativo em aumentar a produtividade do setor em comparação à redução de emissões ocasionadas pela diminuição da frota de veículos. Diante do exposto, tornar o uso de energia mais eficiente no setor de transporte, mais especificamente no modo rodoviário, é um problema que precisa ser amplamente discutido, dado sua significativa contribuição econômica e seu impacto ambiental no desenvolvimento de um país. Isso se intensifica em nações em que o modo rodoviário possui grande representatividade como no caso do Brasil, em que este modo representa 60% na matriz de transporte
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10606
Aparece nas coleções:PPGEN – Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12462_92 - Dissertação - Olivia Nascimento Boldrini - vf.pdf2.36 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.