Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10623
Título: INTERFACES DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E ENSINO SUPERIOR: PROCESSOS CONSTITUTIVOS DE ACESSO E PERMANÊNCIA NO BRASIL E NO MÉXICO
Autor(es): SOUZA, C. A.
Orientador: ALVES, E. P.
Palavras-chave: Educação Especial
Ensino superior
Pessoas com deficiência
Data do documento: 6-Ago-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SOUZA, C. A., INTERFACES DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E ENSINO SUPERIOR: PROCESSOS CONSTITUTIVOS DE ACESSO E PERMANÊNCIA NO BRASIL E NO MÉXICO
Resumo: Este trabalho apresenta resultados de investigação realizada sobre processo de inclusão de pessoas com deficiência em instituição de ensino superior, mais especificamente no campus da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) localizada em Vitória-ES, no Brasil, e na Universidade Veracruzana (UV), localizada em Xalapa, no México. A pesquisa é ancorada no estudo comparado, que permitiu investigar duas realidades, considerando suas singularidades, o que propiciou maior compreensão sobre a complexidade desse campo de investigação. A pesquisa teve por proposição analisar as possibilidades de acesso e permanência do estudante público-alvo da Educação Especial no ensino superior. Metodologicamente se procedeu ao trabalho com documentos oficiais que expressam a política de acesso e de permanência desses estudantes nas duas universidades, houve sistematização de dados relativos ao número de estudantes, por tipologia de deficiência, matriculados nos cursos de graduação presenciais ofertados pelas universidades. Por meio de entrevistas, recorreu-se às figurações que possibilitam o acesso e permanência desse público no contexto dos dois espaços investigados, mediante os discursos dos profissionais que atuam em diferentes setores dessas instituições de ensino superior (IES), bem como os discursos dos alunos. O trabalho teve como orientação teórica para as análises a Sociologia Figuracional elaborada por Norbert Elias. Com suporte nas contribuições deste autor, foi pertinente trabalhar com os conceitos de processo social, figuração e interdependência. Esses conceitos provocaram a pensar como o processo de inclusão de pessoas com deficiência vem se configurando ao longo da história. Os resultados da investigação apontaram os diálogos que se estabelecem entre as figurações das universidades para a permanência de estudantes com deficiência/ discapacidad. As construções e articulações das ações às políticas específicas para o acesso e permanência de pessoas com deficiência acrescentam a esse processo social, bem como as ações limitadas por falta ou escassez de orçamento público. Ficou evidente que a presença do público-alvo da Educação Especial tem tencionado mudanças e as duas universidades buscam caminhos para a inclusão de todos, que os diálogos devem ser estabelecidos entre os departamentos, colegiados ou setores dos campi que poderiam colaborar para mudanças atitudinais, estruturais. Evidenciou-se também as preocupações dos indivíduos envolvidos nesses processos e que há muito ainda que fazer e esse é um processo ainda em construção.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10623
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12651_Caroline - dissertação - rev. port. e normas - Word para PDF (1).pdf2.19 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.