Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10628
Título: DEMOCRACIA E A EDUCAÇÃO ESCOLAR: UMA ANÁLISE À LUZ DA PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA
Autor(es): GOMES, J. P. B.
Orientador: MARSIGLIA, A. C. G.
Palavras-chave: Pedagogia histórico-crítica
Democracia
Educação Escolar
Data do documento: 21-Ago-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: GOMES, J. P. B., DEMOCRACIA E A EDUCAÇÃO ESCOLAR: UMA ANÁLISE À LUZ DA PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA
Resumo: A presente pesquisa trata de um estudo de cunho teórico-conceitual que tem como objeto de análise o debate acerca das relações entre democracia e educação escolar. Pretendemos discutir o atual cenário político que se desenha neste país, especialmente após a reeleição de Dilma Rousseff, no ano de 2014, analisando e contextualizando as circunstâncias políticas que culminaram no impeachment da presidenta em 2016. Busca-se explicitar a quebra democrática que se caracterizou como um golpe parlamentar, jurídico e midiático em meio a um clima de explicitação do ódio e de extremo conservadorismo. A fim de compreender os motivos pelos quais se faz importante a luta pela preservação da democracia neste país, propõe-se resgatar a gênese e o desenvolvimento da democracia na história, apontando suas transformações ao longo do tempo, destacando o modelo antigo vivido pelos gregos, e o moderno, dentro de uma sociedade capitalista que pressupõe a exploração dos indivíduos. Destacamos nesta pesquisa que a plena realização de uma sociedade democrática não é compatível com os ideais capitalistas, portanto, a superação deste modelo se faz necessária e a educação pode contribuir para este ideal. Neste sentido, tomamos a pedagogia histórico-crítica como referencial teórico e metodológico a fim de apresentar a importância da educação escolar na formação de novos indivíduos para uma nova sociedade. Para isso, explicitamos as contribuições desta teoria pedagógica no que tange as concepções de homem, trabalho, trabalho educativo e educação escolar. No intuito de somar forças em busca de uma educação que objetive o máximo desenvolvimento dos indivíduos, especialmente daqueles advindos da classe que vive do trabalho, apresentamos uma análise crítica do Projeto Escola sem Partido, (PL 867/2015), expondo tal iniciativa como a máxima expressão antidemocrática que ameaça a educação escolar neste país. Por fim, destacamos movimentos de resistência que se organizam contra as investidas que visam ao empobrecimento e ao esvaziamento da educação pública, aquela que recebe, majoritariamente, os filhos da classe trabalhadora. Concluímos, então, afirmando a necessidade de lutarmos pela preservação da escola pública, laica, gratuita e de qualidade e pelo direito de acesso da classe trabalhadora ao conhecimento elaborado, evidenciando que o maior ato de resistência do professor é insistir em ensinar, buscando o máximo desenvolvimento de seus alunos.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10628
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12790_Dissertação Juliana Pereira Rageteles Gomes final.pdf7.83 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.