Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10805
Título: ESTIMAÇÃO DE ÁREA BASAL, VOLUME E BIOMASSA AÉREA NA CAATINGA DO SERGIPE COM BASE EM DADOS DO SENSOR MSI DO SENTINEL-2
Autor(es): FERNANDES, M. R. M.
Orientador: SILVA, G. F.
Coorientador: ALMEIDA, A. Q.
Palavras-chave: Sensoriamento Remoto
Florestas
Florestas-Medição
Data do documento: 26-Out-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FERNANDES, M. R. M., ESTIMAÇÃO DE ÁREA BASAL, VOLUME E BIOMASSA AÉREA NA CAATINGA DO SERGIPE COM BASE EM DADOS DO SENSOR MSI DO SENTINEL-2
Resumo: O objetivo deste estudo foi desenvolver e testar técnicas de estimação de área basal, volume de madeira e biomassa aérea da vegetação de Caatinga hiperxerófila densa no alto sertão sergipano com base em dados do sensor MSI/Sentinel-2. Para alcançar este objetivo, foram mensuradas as variáveis dendrométricas: o diâmetro à altura de 1,30 m do solo (DAP) e a altura total (H), obtidas por meio de amostragem sistemática, com parcelas de área fixa quadradas de 30 m x 30 m (900 m2), totalizando 40 parcelas. As variáveis independentes foram extraídas das bandas espectrais nas janelas espectrais 3 x 3, 5 x 5, 7 x 7 e 9 x 9 pixels, e calculadas a razão entre bandas, índices de vegetação, imagem-fração vegetação e métricas de textura com base na matriz de co-ocorrência. As variáveis extraídas do Sentinel-2 foram examinadas quanto à sua acurácia na estimação das variáveis área basal (m2), volume de madeira (m3) e biomassa aérea (Mg) com o uso da análise de regressão linear múltipla (RLM) e Redes Neurais Artificiais (RNA). As estatísticas coeficiente de determinação (R2), raiz quadrada do erro médio (RQME e RQME%) e o viés (V%), foram utilizadas na avaliação das estimativas geradas pelos modelos. Os resultados deste estudo demonstraram que as estimativas derivadas com métricas de textura, calculadas nos tamanhos de janela 5 x 5 e 7 x 7 pixels, foram mais acuradas. As melhores estatísticas foram na estimação da área basal que apresentou um R2 = 0,9591, RQME = 0,63 m2 ha-1 (10,19%) e Viés = -0,39% na validação da RLM; e R2 = 0,9782, RQME = 0,68 m2 ha-1 (10,85%) e Viés = -0,80% na validação da RNA. Ao final, concluiu-se que o uso de variáveis independentes oriundas do sensor MSI na análise da RLM e RNA para estimar área basal, volume de madeira e biomassa aérea apresentou-se como um método eficaz e acurado, ressaltando-se a importância da textura da imagem na predição dessas variáveis na área estudada. Palavras-chave: Semiárido; Mensuração; Sensoriamento Remoto; REDD++; ODS.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10805
Aparece nas coleções:PPGCF - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12618_Tese MARCIA RODRIGUES 201820181224-101729.pdf3.77 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.