Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10807
Título: ANÁLISE ERGONÔMICA COM ÊNFASE NA TERMOGRAFIA EM UM SISTEMA DE EXPLORAÇÃO E PROCESSAMENTO DA MADEIRA DE FLORESTA TROPICAL
Autor(es): SORANSO, D. R.
Orientador: MINETTE, L. J.
Coorientador: SOUZA, A. P.
MARCAL, M. A.
Palavras-chave: Manejo Florestal
Condições de trabalho
Ergonomia
Imagens
Data do documento: 19-Fev-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SORANSO, D. R., ANÁLISE ERGONÔMICA COM ÊNFASE NA TERMOGRAFIA EM UM SISTEMA DE EXPLORAÇÃO E PROCESSAMENTO DA MADEIRA DE FLORESTA TROPICAL
Resumo: SORANSO, D. R. Análise ergonômica com ênfase na termografia em um sistema de exploração e processamento da madeira de floresta tropical. 2019. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) Universidade Federal do Espírito Santo, Jerônimo Monteiro ES. Orientador: Prof. Dr. Luciano José Minette. Coorientadores: Prof. PhD. Amaury Paulo de Souza e Prof. Dr. Márcio Alves Marçal. Na comercialização da madeira provinda das áreas de manejo florestal, o centro consumidor têm exigido que a matéria-prima comercializada possua certificação florestal como uma garantia de que o produto seja de uma área que atende os requisitos legais de exploração, dentre este, os relacionados à saúde e segurança dos trabalhadores sejam atendidos. Para melhorias nas condições de trabalho é primordial a aplicação da análise ergonômica, com intuito de identificar situações possam causar danos à saúde e integridade física dos trabalhadores, dentre os métodos que pode ser aplicado para alcançar tal finalidade em uma análise ergonômica, cita-se a termografia. Diante do exposto, o objetivo desta pesquisa foi realizar a análise ergonômica, com ênfase no uso da termografia, em um sistema de exploração e processamento da madeira de floresta tropical no Norte do Estado de Mato Grosso, Brasil. Para atingir os objetivos propostos, este estudo foi divido em dois capítulos. O primeiro capítulo refere-se a aplicação de uma análise ergonômica nas atividades de exploração florestal e da indústria de processamento de madeira. Inicialmente foi caracterizado o perfil dos trabalhadores com a aplicação de questionários. Posteriormente feita a avaliação da exposição ocupacional dos trabalhadores ao calor, seguida da análise dos riscos físicos ruído e vibração. Por fim foram avaliadas as condições biomecânica, o risco de lesão por esforços repetitivos e distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho e a carga de trabalho físico. Na análise ergonômica do trabalho verificou-se que os trabalhadores, possuem grau de escolaridade, não são submetidos a treinamento e que as condições de trabalho consistem um cenário favorável para ocorrência de acidentes. A avaliação da exposição ocupacional ao calor e a análise qualitativa do ruído e da vibração demostraram a necessidade para a doação de medidas de controle. Com relação ao posto de trabalho, as atividades proporcionaram elevada carga de trabalho físico, alto risco para o desenvolvimento de distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho e danos a coluna vertebral, indicando a necessidade para a adoção de medidas ergonômicas imediatas no trabalho. O segundo capítulo teve como objetivo avaliar as condições da região posterior do tronco de trabalhadores da indústria de processamento de madeira em regiões de floresta tropical no Norte do Estado de Mato Grosso, Brasil. A avaliação do uso da termografia foi conduzida com a avaliação de nove trabalhadores da indústria de processamento de madeira e oito sujeitos pertencentes a um grupo denominado de controle, composto por sujeitos que não desenvolviam atividades fisicamente pesadas. Com o grupo de trabalhadores, as avaliações foram realizadas antes do início da jornada de trabalho na segunda-feira e na sexta-feira, para verificar se o acúmulo de dias trabalhados proporcionaria uma diferenciação nas imagens obtidas. E no grupo controle, essa avaliação foi realizada somente na segunda-feira, a fim de obtenção de um padrão normal de temperatura das regiões corporais avaliadas. Os resultados apontaram que os valores de temperatura média dos trabalhadores avaliados na situação I diferiam significativamente em relação a do grupo controle. Na avaliação do acúmulo de dias trabalhados e menor tempo para recuperação em relação ao período de maior tempo para descanso não houve diferenças significativas nos padrões térmicos obtidos. A análise qualitativa evidenciou uma maior amplitude de ocupação de padrões térmicos com temperatura elevada na região corporal de interesse dos trabalhadores em ambas as situações avaliadas. De maneira geral, os resultados indicam a necessidade de um exame apurado, a fim de verificar se o desenvolvimento das operações de processamento de madeira, contribuem para o surgimento de disfunções musculoesqueléticas nos trabalhadores. Palavras-chave: Manejo florestal, condições de trabalho, ergonomia, imagens termográficas.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10807
Aparece nas coleções:PPGCF - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12822_Tese DENISE SORANSO 2019.pdf3.94 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.