Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10908
Título: Viabilidade Econômica para Estratégias de Conservação e Reúso de Água em Edificação Comercial de Grande Porte
Autor(es): GONZALEZ, H. M.
Orientador: CAMPOS, R. H.
Coorientador: GONCALVES, R. F.
Data do documento: 3-Dez-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: GONZALEZ, H. M., Viabilidade Econômica para Estratégias de Conservação e Reúso de Água em Edificação Comercial de Grande Porte
Resumo: A viabilidade econômico financeira da conservação e reúso de água para fins não potáveis constitui-se em estratégia importante para implementação de investimentos nas edificações. Este trabalho buscou avaliar a viabilidade econômico financeira da conservação e reúso, a partir de estudo de cenários em edificação de porte e avaliando os investimentos propostos de forma determinística e com inserção da incerteza. As avaliações foram realizadas por meio de orçamentos de investimentos, custos, receitas, fluxos de caixa descontado, indicadores de viabilidade econômico financeira, simulação estocástica, análise de sensibilidade e cálculo dos incrementos entre as opções de investimento estudadas. A avaliação do investimento foi realizada para a edificação Shopping Center Vila Velha e apontou viabilidade econômica financeira em todos os cenários de conservação e reúso de água na edificação. Verificou-se também que os sistemas de conservação e reúso nas edificações operam com estrutura de custos abaixo dos preços pagos pelo serviço de água e esgoto. Entre os cinco cenários de conservação e reúso estudados, a menor TIR foi de 57,01% enquanto o menor VPL foi de R$1.732.414,91. A simulação estocástica com os preços dos serviços de água e esgoto mostrou que a análise determinística do investimento subestima em 8,11% o retorno do investimento. A análise de sensibilidade mostrou que embora represente apenas 20% da oferta de água não potável na edificação, o reúso de águas cinza contribui para estabilizar a oferta em situações de escassez de chuvas. Os cenários com a conjugação das 3 fontes de água não potável utilizadas tiveram melhores indicadores de viabilidade econômico financeira. O cenário que aproveita 90% da demanda de água não potável da edificação possui maior investimento e melhor retorno econômico financeiro com VPL de R$ 7.474.320,11 em conjuntura de custos financeiros estáveis. Os cenários atendendo 70% e 80 da demanda de água não potável possuem melhor viabilidade econômico financeira em conjuntura com custos financeiros altos. Assim, a conservação e reúso de água não potável em edificações representa ganhos econômicos significativos, além de contribuir no alívio dos sistemas públicos de abastecimento e esgoto no cenário escassez hídrica.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10908
Aparece nas coleções:PPGESA - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12762_Dissertação versão Final pdf.pdf2.45 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.