Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10972
Título: DIFERENÇA E COLETIVIDADE: A PRODUÇÃO DISCURSIVO-LITERÁRIA DE SUJEITOS TRANSGÊNEROS
Autor(es): COSSETTI, R.
Orientador: NASCIMENTO, J. V.
Data do documento: 20-Mar-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: COSSETTI, R., DIFERENÇA E COLETIVIDADE: A PRODUÇÃO DISCURSIVO-LITERÁRIA DE SUJEITOS TRANSGÊNEROS
Resumo: RESUMO Esta Dissertação examina a produção discursivo-literária produzida por sujeitos transgêneros e a constituição de sua paratopia. Conforme compreendida por Dominique Maingueneau (2016a), a paratopia é o caráter paradoxal dos discursos constituintes, como os discursos religioso, filosófico, científico e literário, os quais se comportam como discursos fundadores que validam a si próprios por meio de suas cenas de enunciação. Adotamos o aporte teórico-metodológico da Análise do Discurso de linha francesa na perspectiva enunciativo-discursiva desenvolvida por Maingueneau (2008a, 2008b, 2013, 2015a, 2015b, 2016a, 2016b, 2016c). A fim de darmos conta do caráter interdisciplinar da pesquisa, buscamos diálogos com Michel Foucault (1983, 1999) e Judith Butler (2004, 2011, 2016), que tratam a sexualidade e o conceito de gênero social sob uma perspectiva de crítica à cisgeneridade compulsória. O gênero passa a ser compreendido como um conjunto de atos performativos, ou seja, norma que se materializa discursivamente. A pesquisa é de cunho analítico-descritivo e emprega como corpus discursos literários que compõem a coletânea Nós, trans: escrevivências de resistência do Grupo Transcritas Coletivas. Nessa perspectiva, analisamos, a princípio, a categoria de interdiscurso e, a partir dela, concentramo-nos nas três dimensões sobre as quais incide a paratopia: a cenografia, o ethos discursivo e o código linguageiro. O caráter interdisciplinar da AD viabiliza a pesquisa sobre a criação, por meio do discurso literário, de identidades em uma conjuntura do século XXI. Os resultados da análise confirmaram que a produção discursivo-literária dos sujeitos trans constitui-se de forma paratópica nos níveis da cenografia, do ethos discursivo e do código linguageiro. Esses discursos literários buscam criar um lugar para esses sujeitos e fazem-no em resistência à matriz cisgênera. Palavras-chave: Análise do Discurso. Discurso literário. Paratopia. Identidade de gênero.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10972
Aparece nas coleções:PPGEL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_13019_Rafael Cossetti - Dissertação - PPGEL.pdf1.33 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.