Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10996
Título: "OLHOS D ÁGUA DE CONCEIÇÃO EVARISTO: A VOZ DA MULHER NEGRA NA CORDA BAMBA DA TRADUÇÃO
Autor(es): SARAMIN, A.
Orientador: CARVALHO, R. N. B.
Coorientador: CASTAGNA, V.
Data do documento: 12-Mar-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SARAMIN, A., "OLHOS D ÁGUA DE CONCEIÇÃO EVARISTO: A VOZ DA MULHER NEGRA NA CORDA BAMBA DA TRADUÇÃO
Resumo: RESUMO O propósito desse trabalho é analisar e traduzir para italiano o livro da autora afro-brasileira Conceição Evaristo: Olhos dágua. Esse livro é uma coletânea de contos cujas personagens e ambientação refletem a parte mais marginalizada da sociedade no Brasil atual. Para analisar essa coletânea, é preciso olhar para as temáticas recorrentes nos trabalhos da autora. Conceição Evaristo utiliza o termo escrevivência para unir em uma única palavra todas as temáticas que recorrem em suas obras. Partindo dessa análise evidenciam-se, como assuntos mais frequentes, a comparação entre a vida e a morte, a condição de vida das pessoas marginalizadas, a vida das mulheres afro-brasileiras que tentam sobreviver em uma sociedade profundamente racista, a importância e a representação dos corpos delas tanto no universo cultural brasileiro quanto na literatura e o intento de elas buscar a representação da própria identidade nesse tipo de cultura. Nesses contos a maioria das protagonistas são mulheres que, junto com os protagonistas masculinos e os outros personagens, vivem em favelas em condições de marginalização. Palavras-chave: Olhos dagua, tradução, Conceição Evaristo, escrevivência, literatura neg
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10996
Aparece nas coleções:PPGL - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_13143_Versão Final - ALESSANDRA SARAMIN.pdf982.83 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.