Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11025
Título: INTERAÇÕES ENTRE O MOVIMENTO LGBTI E O GOVERNO ESTADUAL DO ESPÍRITO SANTO
Autor(es): SOUZA, B. Q.
Orientador: CARLOS, E.
Data do documento: 4-Jul-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SOUZA, B. Q., INTERAÇÕES ENTRE O MOVIMENTO LGBTI E O GOVERNO ESTADUAL DO ESPÍRITO SANTO
Resumo: Esta investigação centrou-se na observação descritiva e interpretativa do Movimento de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros e Intersexos (LGBTI) no estado do Espírito Santo, delimitando a sua abordagem dentro do que é o movimento nos estudos de movimentos sociais, apoiando-se em uma proposta dedutiva quanto ao conhecimento da relação dos componentes do movimento LGBTI dentro do Estado do Espírito Santo. O objeto central desta pesquisa é apresentar a interação do movimento LGBTI e o Estado no Espírito Santo. De forma específica, pretendo realizar uma análise descritiva da interação do Movimento LGBTI e Estado na política pública de forma a entender como atua o Movimento LGBTI para influenciar o Estado no desenvolvimento de políticas públicas, incluindo-se nesta perspectiva os atuais repertórios de ação e interação do Movimento LGBTI no Estado do Espírito Santo, as formas de organização de seus grupos e componentes e a capacidade de permeabilidade do Estado das demandas destes grupos na política setorial. Esta pesquisa visa a contribuir para o entendimento das oportunidades e interações existentes dentro da relação do Movimento LGBTI junto à esfera estadual, através de suas agências estatais como a Secretaria Estadual de Saúde (SESA) e as Coordenações de Políticas para a Diversidade Sexual e Gênero da Secretaria Estadual de Direitos Humanos (SEDH). O recorte temporal da pesquisa corresponde um período anterior da gestão do governador Casagrande, através da 1ª Conferência Estadual LGBT (t0), desde 2008, sendo esta conferência um marco no movimento LGBTI no Espírito Santo, a preparação para a criação da SEDH e espaços institucionais na SESA, e outros órgãos até a criação da 2ª Conferência Estadual LGBT (t1), em 2011, e finalmente com a atuação conjunta na SEDH e SESA, na administração Paulo Hartung, até a 3ª Conferência Estadual LGBTI (t2). O process tracing permite que seja verificado, através do tempo, uma apresentação da atuação do Movimento LGBTI, dentro de suas organizações na sociedade civil, interagindo com o Estado na formação e ocupação de encaixes institucionais que vão existir ou serem construídos em face da organização interna do movimento LGBTI e a estrutura estatal, apresentando um estudo de caso ao longo do tempo. O objetivo então é justamente entender como o Movimento LGBTI, dentro do Estado do Espírito Santo, se mobiliza e interage na produção da política setorial. Palavras-chave: Movimentos sociais; LGBT; Estado; Efeitos políticos; Encaixes; Políticas públicas.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11025
Aparece nas coleções:PPGCSO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12250_88 - Bruno Quintão de Souza.pdf2.43 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.