Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11126
Título: Sazonalidade e Diversidade de Ephemeroptera Neotropicais
Autor(es): COSTA, V.
Orientador: SALLES, F. F.
Coorientador: GUERRA SOBRINHO, T.
Data do documento: 22-Fev-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: COSTA, V., Sazonalidade e Diversidade de Ephemeroptera Neotropicais
Resumo: O objetivo deste trabalho foi investigar a flutuação sazonal de alados de Ephemeroptera Neotropicais e os processos que determinam a diversidade da ordem para a região tropical. O primeiro capítulo trata da investigação da flutuação sazonal dos alados de Ephemeroptera em ambientes neotropicais, realizamos o delineamento da flutuação das populações no decorrer das estações climáticas e de suas relações com os fatores climáticos repetitivos e o segundo trata dos aspectos ecológicos da ordem e como sua diversidade está distribuída nas diferentes escalas ecológicas, seguindo os preceitos da partição aditiva da diversidade. Para tanto efetuamos coleta de dados em três córregos dentro dos limites da reserva (córrego Lombardia, córrego Roda Dagua e córrego Bragacho). Para os dados fenológicos foram realizadas coletas mensais entre maio de 2017 e abril de 2018, com armadilhas luminosas de bandeja, e por armadilhas do tipo malaise. Para investigar como fatores que agem em diferentes escalas espaciais (local, mesoescala e regional) influenciam na diversidade, uma campanha de coleta de ninfas em 18 pontos foi realizada, sendo seis pontos em cada córrego estudado, A amostragem foi realizada pelo método de varredura. Ambas realizadas na Reserva Biológica Augusto Ruschi, localizada no município de Santa Teresa ES. Desta forma, as coletas foram realizadas de acordo com o seguinte esquema hierárquico: (α) que abrange apenas o substrato (folhiço, pedra e cascalho/areia); (β1) diferenças entre a composição de espécies entre os locais; (β2) meso-habitats, que compreende a troca de espécies que ocorre entre os substratos mais a velocidade do fluxo da água (remanso ou correnteza); (β3) troca entre a composição de espécies entre os córregos e (γ) a diversidade regional soma de todos níveis hierárquicos. Um total de 1676 alados de Ephemeroptera pertencentes a cinco famílias foram coletados. Foram coletados no total 403 espécimes de ninfas de Ephemeroptera, cinco famílias e 24 espécies. Os dados apresentados e discutidos neste estudo corroboram a hipótese de que ordem Ephemeroptera da região Neotropical apresenta um padrão sazonal de abundância e riqueza durante o ano. A maioria das espécies de Ephemeroptera tem maior abundância entre novembro e fevereiro. Esse padrão sazonal é reflexo das diferenças sazonais dos regimes de temperatura e pluviosidade cíclicas da paisagem estudada. No entanto, como visto, esse comportamento não pode ser explicado apenas por fatores climáticos. As famílias mais abundantes da paisagem parecem mostrar diferenciação no período de revoada. Verificamos ainda, que ao nível de microhabitat o tipo de substrato exerce grande influência nas taxas de riqueza e abundância da comunidade de Ephemeroptera. Em nível de paisagem, no entanto, o nível hierárquico local é o que menos contribui na determinação da diversidade. As diferenças entre os rios, dessa forma, é o fator mais importante para o acréscimo de espécies à diversidade regional. Isto é, este resultado é particularmente relevante para programas de apelo conservacionista. Deste modo, o gasto de recursos em estudos de diversidade e programas de conservação da biodiversidade da fauna estudada pode ser mais efetivo ao priorizar (i) grande cobertura espacial e (ii) diversidade de substratos.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11126
Aparece nas coleções:PPGBAN - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12956_disVinicius_final.pdf2.99 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.