Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11127
Título: Atividades Alelopática, Antioxidante e Antigenotóxica do Exopolissacarídeo Carboximetilado Botriosferana
Autor(es): GERVASIO, S. V.
Orientador: BATITUCCI, M. C. P.
Coorientador: SENA, G. G. S.
Data do documento: 22-Fev-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: GERVASIO, S. V., Atividades Alelopática, Antioxidante e Antigenotóxica do Exopolissacarídeo Carboximetilado Botriosferana
Resumo: Os metabólitos secundários constituem parte importante das plantas, apresentam função de proteção, auxiliam nas respostas ambientais e adaptação das plantas ao ambiente. A sua composição química é o que favorece às atividades desempenhadas pelos metabólitos secundários e possibilita suas mais diversas aplicações, seja para o tratamento de doenças com o uso direto das plantas, ou produção para indústria. Em busca de novas fontes de metabólitos secundários, as algas e fungos se apresentaram como grupos de destaque, sendo utilizados pela facilidade de produção desses metabólitos sem requerer grandes espaços e investimentos. Dentre os fungos, o gênero Botryospaheria, conhecido por causar doenças em plantas, abriga a espécie Botryosphaeria rhodina, causadora de cancro em eucalipto, promotora de apodrecimento de frutos e conhecida pela produção do botriosferana, um polissacarídeo produzido no meio extracelular, do tipo β-glucana com ligações do tipo β-(1 → 3,1 → 6) e de baixa solubilidade. O botriosferana apresenta atividade antioxidante, hipocolesterolêmica, antimutagênica, antifúngica e antiviral, visando potencializar essas atividades essa molécula sofreu uma alteração estrutural, carboximetilação, onde o número de ramificações é aumentado e, consequentemente, também a sua solubilidade. Para verificar se o aumento da solubilidade alterou sua atividade, foram realizadas análises das antioxidantes pelos métodos do DDPH, ABTS, FRAP e quelante do ferro2+, da atividade alelopática nos sistemas teste Allium cepa e Lactuca sativa, da viabilidade celular de linfócitos humanos e sarcoma 180 pelo método do MTT, e a avaliação da atividade mutagênica e antimutagênica em camundongos. O botriosferana carboximetilado apresentou atividade antioxidante somente em dois métodos, DPPH e quelante do ferro2+, não apresentou atividade alelopática, aumentou a viabilidade celular de linfócitos, principalmente sob 48h de exposição, e se mostrou seletivo para diminuir a viabilidade celular de sarcoma 180 sob 48h de exposição. Não apresentou atividade mutagênica, mas foi antimutagênico, diminuindo consideravelmente os valores de micronúcleos, em comparação ao controle positivo. Os resultados obtidos indicam que a alteração estrutural manteve as atividades anteriormente descritas e que foram reavaliadas, ao comparar a redução de danos causados pela ciclosfofamida, há um indicativo de que a alteração estrutural potencializou essa atividade do bostriosferana carboximetilado. Ao considerar todas as atividades por ele desempenhadas, é possível observar o potencial de aplicação como um coadjuvante para o tratamento de doenças crônicas não transmissíveis, como hipercolesterolemia, e também para o tratamento de câncer.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11127
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12878_Dissertação Suiany Versão IMPRESSA (Reparado) (1).pdf1.61 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.