Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11168
Título: A relação entre movimento feminista e partidos políticos de esquerda no Brasil, no contexto de acirramento da crise capitalista, 2008-2017
Autor(es): Pereira, Célia Barbosa da Silva
Orientador: Ferraz, Ana Targina Rodrigues
Data do documento: 3-Mai-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Este estudo analisa como tem se expressado a relação entre movimentos feministas e partidos políticos de esquerda no Brasil, no período entre 2008 a 2017, contexto de acirramento da crise capitalista mundial. A partir de um estudo de caso sobre a forma como essa relação tem sido construída por três movimentos feministas de expressão nacional, quais sejam: a Marcha Mundial das Mulheres (MMM), a Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB) e o Movimento de Mulheres Camponesas (MMM), apontamos tendências contemporâneas apresentadas pelos movimentos feministas sobre suas relações políticas com os partidos de esquerda. Nossa hipótese era de que, no contexto de acirramento da crise capitalista, a relação entre movimentos sociais e partidos políticos do campo da esquerda estaria se fortalecendo, no sentido de uma maior aproximação indicando organicidade. Assim, tendo em vista as particularidades do cenário nacional, propomos a tese de que, no Brasil, a relação atual entre movimentos feministas e partidos políticos de esquerda sinaliza uma relação de novo tipo, baseada na compreensão dos movimentos sociais de que são sujeitos políticos e cumprem a mesma função dos partidos no direcionamento da luta política da classe trabalhadora. A pesquisa de natureza qualitativa utilizou-se de: levantamento bibliográfico para a construção do referencial teórico e compreensão histórica do objeto de estudo; pesquisa documental realizada em sites da MMM, da AMB e do MMC e entrevistas em profundidade realizadas com quatorze militantes de referência para esses movimentos, para coleta de dados; e análise do discurso para compreensão dos dados. Os resultados apontam para a sustentação da tese. Os movimentos estudados no contexto da crise capitalista aproximaram-se mais de partidos políticos do campo da esquerda, estabelecendo uma relação de organicidade, principalmente com a Consulta Popular e o Partido dos Trabalhadores. Essa relação é fundamentada na compreensão de que a transformação social só poderá ser levada a cabo por meio de luta antissistêmica que articule as dimensões do sexo, da raça/etnia e da classe. O mote sem feminismo não haverá socialismo indica o entendimento desses movimentos de que uma sociedade mais igualitária deve se alicerçar na luta pela emancipação da classe trabalhadora, mas também atentar para as especificidades da emancipação da mulher.
This study analyzes how the relationship between feminist movements and left political parties in Brazil has been expressed during the period of 2008 to 2017, a context of intensification of the world capitalist crisis. From a study case regarding the way this relationship has been developed by three feminist movements with national reach, which are: World March of Women (WMW), Brazilian Women’s Articulation (BWA) and the Movement of Peasant Women (MPW), we pointed out contemporary tendencies presented by feminist movements about their political relations with left parties. The hypothesis was that, in a context of intensification of the world capitalist crisis, the relationship between feminist movements and political parties would be strengthening, in the sense of a greater approximation indicating organicity. Therefore, having in mind the particularities of the national scene, the proposed thesis was that, in Brazil, the current relationship between feminist movements and left political parties indicates a new type of relation based in the understanding from social movements that they are political agents and that they have the same role as the parties in directing the political fight of the working class. The qualitative research was based in: bibliographical survey for the construction of the theoretical reference and historical understanding of the object of study; research documented in WMW, BWA and MPW websites and in-depth interviews with fourteen militants that are a reference to this movements to data collect; analysis of the speech to data comprehension. The results point to a confirmation of the thesis. The studied movements had an approximation with left political parties in the context of the capitalism crisis, establishing a relation of organicity, mainly with Popular Consultation and Workers Party. This relationship is based in the comprehension that social changing can only happen through an anti-systemic fight that articulates the dimensions of sex, race/ethnicity and class. The motto “without feminism there is no socialism” indicates the understanding of these movements that an egalitarian society must be based in the fight for the emancipation of the working class, mas also be aware of the specificities of the women’s emancipation.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11168
Aparece nas coleções:PPGPS - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_13309_Célia Barbosa S. Pereira - Tese.pdf3.37 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.