Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11208
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMENDES, S. L.-
dc.date.accessioned2019-06-01T02:13:25Z-
dc.date.available2019-05-31-
dc.date.available2019-06-01T02:13:25Z-
dc.identifier.citationLYRIO, G. S., Os efeitos da estrutura e configuração da paisagem na diversidade funcional e de espécies em mamíferos de médio e grande porte da Mata Atlânticapor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/11208-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleOs efeitos da estrutura e configuração da paisagem na diversidade funcional e de espécies em mamíferos de médio e grande porte da Mata Atlânticapor
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractAs atividades humanas como agricultura, mineração, pecuária, exploração madeireira são apontadas como as principais responsáveis pela fragmentação da vegetação nativa. A fragmentação influencia na heterogeneidade da paisagem com formação de manchas de diferentes tamanhos na matriz de habitats do entorno e na conectividade entre os fragmentos, afetando a diversidade biológica. Dessa forma, o presente estudo avaliou os efeitos da estrutura e configuração da vegetação nativa na diversidade de espécies e diversidade funcional de médios e grandes mamíferos em um sistema complexo de fragmentos florestais da Mata Atlântica. Para isso, foram selecionados fragmentos de vegetação nativa com características estruturais e de configuração espacial distintas, os quais foram caracterizados por meio de medidas de mancha e de paisagem delimitadas por buffers de um, cinco e dez quilômetros. Nos fragmentos foram instaladas armadilhas fotográficas para registrar as espécies focais. A diversidade de médios e grandes mamíferos foi calculada por meio de dois estimadores de riqueza, tanto de espécies quanto funcional. A riqueza funcional é um atributo mais complexo e infere sobre a quantidade do espaço funcional ocupado por uma comunidade de espécies, a qual foi calculada pelos índices FRIC (Functional Richness) e FD (Functional diversity). Foram realizados modelos lineares para determinar a influência da estrutura e configuração da vegetação nativa, representada por meio de componentes principais e filtro espacial sobre a diversidade de médios e grandes mamíferos. O Critério de Informação de Akaike corrigido foi utilizado para selecionar o melhor modelo entre todas as combinações possíveis, porém nenhum dos modelos teve habilidade para explicar a variação de riqueza de espécies nos fragmentos florestais. No entanto, dois modelos apareceram como explicações complementares para a diversidade beta, onde a fragmentação da vegetação nativa influenciou positivamente o aumento da diversidade beta da região de estudo. Os resultados indicam que a paisagem heterogênea da região de estudo é constituída principalmente por espécies de médios e grandes mamíferos generalistas de habitats. Palavras-chave: ecologia de paisagem, diversidade funcional, riqueza funcional, fragmentação, diversidade betapor
dcterms.creatorLYRIO, G. S.-
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2019-04-05-
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Biologia Animal)por
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Biologia Animalpor
dc.contributor.refereeCENTODUCATTE, L. D.-
dc.contributor.refereeCHIARELLO, A. G.-
dc.contributor.refereeMOREIRA, D. O.-
dc.contributor.refereeCOSTA, L. P.-
dc.contributor.advisor-coGREGORINI, M. Z.-
Aparece nas coleções:PPGBAN - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_13042_Dissertação_mestrado_GeorgeaLyrio_PPGBAN.pdf
  Restricted Access
9.78 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.