Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11234
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorLEAO, A.
dc.date.accessioned2019-06-08T02:11:48Z-
dc.date.available2019-06-07
dc.date.available2019-06-08T02:11:48Z-
dc.identifier.citationBATISTA, A. M., NARRAÇÕES, ENCONTROS, CRI(AÇÕES) COM TERRITÓRIOS EXISTENCIAIS ARTESANIA DE CUIDADO POR PRÁTICAS DESINSTITUCIONALIZANTESpor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/11234-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleNARRAÇÕES, ENCONTROS, CRI(AÇÕES) COM TERRITÓRIOS EXISTENCIAIS ARTESANIA DE CUIDADO POR PRÁTICAS DESINSTITUCIONALIZANTESpor
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractEsta dissertação narra encontros, sobretudo aqueles desterritorializantes. Além disso, traz escritas com e de cuidado pelo agenciamento a experiências de loucura e marginalidade; pessoas que, por escaparem a norma, vivenciam opressões, aprisionamentos e internações. Corpos de fuga e captura em muitas dimensões são punidos, afastados dos territórios e do direito a liberdade. De que modo podemos criar uma intervenção que artefaça territórios existenciais com esses sujeitos? Utilizamos como estratégia metodológica três posturas de manejo da Gestão Autônoma da Medicação (GAM): a lateralidade, a cogestão e as narrativas, sendo essas facilitadoras para produção de saúde. As possibilidades de habitar espaços de existência, construir vínculos, parcerias com o mundo, podem tornar-se expressões de cuidado. Nesse sentido, o território passa ser o problema e, principalmente, a possibilidade subversiva de resistir e existir. Ademais, entendemos os trabalhadores da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) também como agentes disseminadores desses modos de cuidado, subjetividade, saúde e clínica. Entre muitas andanças, nos encontramos com eles e caminhamos ao lado nesse processo que é narrativo e interventivo. Tomamos essa postura, esse modo de artesania dos territórios, como ethos desse mapa traçado por desejos e afetos. Palavras-chave: territórios; GAM; ethos; Subjetividade, Saúde e Clínicapor
dcterms.creatorBATISTA, A. M.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2019-05-13
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Psicologia Institucionalpor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Psicologia Institucionalpor
dc.contributor.refereeVASCONCELOS, C. S.
dc.contributor.refereePEREIRA, E. H. P.
dc.contributor.refereeCESAR, J. M.
Aparece nas coleções:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_13258_Alana Machado Batista 13.05 - definitiva.pdf2.48 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.