Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11330
Título: ENTRE CONTOS E CANTOS: A CONSTRUÇÃO DA MEMÓRIA COLETIVA DAS PRÁTICAS CULTURAIS EM REGÊNCIA AUGUSTA
Autor(es): CAU, P. F. S.
Orientador: MORILA, A. P.
Data do documento: 29-Mar-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CAU, P. F. S., ENTRE CONTOS E CANTOS: A CONSTRUÇÃO DA MEMÓRIA COLETIVA DAS PRÁTICAS CULTURAIS EM REGÊNCIA AUGUSTA
Resumo: Regência Augusta faz parte do município de Linhares. Trata-se de um pequeno vilarejo rodeado pela foz do Rio Doce e o mar. Em maior parte, a comunidade é descendente da miscigenação entre indígenas, negros e brancos, comumente chamados na região de nativo ou caboclo. Estes sujeitos estão intimamente ligados a duas práticas culturais locais: a pescaria e o Congo. O trabalho apresenta um estudo sobre as duas práticas culturais da vila, analisando, principalmente, a construção da memória coletiva por meio das lembranças dos moradores. Devido a caraterística da pesquisa, se fez necessário o uso da abordagem qualitativa, utilizando o meio social da vila como fonte direta de coleta de dados. A observação em campo possibilitou conhecer o dia a dia e as relações entre os sujeitos envolvidos na comunidade e as articulações orais que se constroem desses encontros. As etapas formuladas para pesquisa consistem em: levantamento bibliográfico; entrevistas em história oral temática com sujeitos envolvidos em práticas culturais na área do objeto de pesquisa e observações das ações cotidianas; e análise dos dados. A pesquisa se apoiou no referencial teórico dos autores que discutem o conceito de história e memória com Halbwachs (2003) e Le Goff (2013). Por se tratar de uma comunidade tradicional não se poderia deixar de abordar a questão cultural, deste modo as reflexões de Burke (2008) e Canclini (1983) são os suportes teóricos. Nas análises dos dados se considerou, também, as concepções de Geertz (1997) sobre a interpretação das culturas. Gramsci (1989) fundamenta o conceito de intelectuais orgânicos, identificações trabalhadas nas narrativas dos líderes comunitários da vila, e a formação\educação numa dimensão para vida prática, nos aspectos culturais e sociais da Banda de Congo Mirim. Em relação aos contadores/narradores da história, as teorias de Benjamin (1994) apoiaram as discussões. No levantamento de dados empíricos, que envolve a interrogação direta dos sujeitos participantes da comunidade de Regência Augusta cujo, as lembranças se pretenderam conhecer, utilizou-se do método da história oral temática( MEIHY, 2015) obtendo um total de 9 relatos orais. Nesse estudo, três apontamentos se mostraram expressivos: a memória coletiva que é construída a partir das lembranças em comum, as práticas culturais da pescaria do Congo e sua relação com o rio\mar e a transmissão de conhecimentos populares por meio da contação e cantação de histórias. Palavras-chave: Memória Coletiva. Práticas Culturais. Tradição oral.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11330
Aparece nas coleções:PPGEEB – Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_13345_108-Patricia Flavia dos Santos cau.pdf2.8 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.