Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2069
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorLopes, Almerinda da Silva-
dc.date.accessioned2016-08-26T15:18:42Z-
dc.date.available2016-07-11-
dc.date.available2016-08-26T15:18:42Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/2069-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleMemória e persuasão na pintura de Adriana Varejão.por
dc.typemasterThesisen
dc.subject.udc7-
dc.subject.br-rjbnVarejão, Adriana, 1964-, Crítica e interpretação.-
dc.subject.br-rjbnArtistas - Brasil.por
dc.subject.br-rjbnArtes plásticas - Brasil.por
dc.subject.br-rjbnPintura.por
dc.subject.br-rjbnMemória.por
dcterms.abstractA pintura de Adriana Varejão está diretamente relacionada ao modo imbricado com que a artista transita entre a persuasão, como estratégia, que traz a ideia do barroco à atualidade, não para ser reapresentado, mas como referencial do patrimônio artístico, estético e cultural do Brasil. A análise das obras foi enriquecida pela entrevista pessoal à artista, por troca de e-mails e por estudos comparativos com as fontes originárias do período colonial. Gravuras e pormenores da ornamentação em azulejaria são trazidos às telas pela própria artista, em meio a representações variadas entre a figura humana, o auto-retrato, a carne sem corpo ou vestígios da passagem de um corpo não identificado. Essas conexões realizadas pela artista não conciliam conflitos entre a oposição de partes díspares, como o ornamento e a carne, mas também não se resumem a significar o sofrimento do período colonial, quando à época do massacre de índios, em nosso país, pelos colonizadores, já tantas vezes indicadas em sua pintura. Nesse diálogo imbricado, a artista pode fundamentar a construção do espaço pictórico na paródia, na narrativa fragmentada, ou mesmo em sua ausência, tecendo em seu lugar estratégias que ampliam o espaço pictórico em direção ao espaço físico em que se encontra o espectador. O observador da obra, persuadido, faz circular o olhar que lhe é oferecido. A imbricação corpo carne - auto-retrato espectador se apresenta na obra de Varejão como um jogo múltiplo de trocas e substituições. Pode se manifestar como um convite à participação simbólica do campo de representação, desde a referência ao canibalismo, à eucaristia, à oferenda simbólica do corpo da artista, à representação da pintura, como carne viva ou corpo aberto sem órgãos, até à instabilidade da ausência de um corpo representado em um espaço antropomórfico que torna o espectador testemunha e voyeur. A pintura da artista, enquanto mistura combinações de imagens culturais, de origem barroca ou não, dialoga com a tradição da pintura e cria um espaço pictórico fragmentado. Afirma-se como superfície e materialidade, enfatizando o fluxo e a instabilidade entre os polos opostos e faz permanecer o investimento em uma relação em torno do espaço de representação ampliado ao campo físico, no qual se encontra o espectador. Palavras-chave: persuasão. memória. carne. espectador.por
dcterms.abstractAdriana Varejão‘s painting is directly related to the mingled way the artist moves between persuasion as strategy, which brings about baroque to nowadays not to be reintroduced, but as a reference of Brazil‘s artistic heritage, esthetics and culture. The analysis of the works was enriched by the personal interviews with the artist through e-mails and comparative studies with the sources originated in the colony period. Engravings and petty details are brought to the canvas by the artist herself among various representations of the human figure, self portraits, flesh without a body or clues left by an unidentified body. These connections made by the artist do not conciliate conflicts between opposition of uneven parts, such as embellishment and flesh, but also do not only mean to show the suffering of the colony period at the time of the massacre of the natives in our country by the colonizers, already seen many times in her paintings. In this mingled dialogue the artist is able to ground the construction of the pictorial space in a parody, in the fragmented narrative or even in its absence, building up in its place, strategies which amplify the pictorial space toward the physical space where the viewer stands. The work observer, persuaded, makes the look circulates of which is put at their disposal. The joint body – flesh - self-portrait – viewer presents itself in Varejão‘s work as a multiple game of trades and substitutions. It can manifest itself as an invitation to the symbolic participation of the representation, from the reference to cannibalism, to the eucharist to the symbolic offer of the artist‘s body, to the representation of the painting as living flesh or to an open body without organs and even to the instability of the absence of a body represented in an anthropomorphic way which turns the viewer into witness and voyeur. The artist‘s paintings mix combinations of cultural images, from baroque origins or not at the same time it dialogues with painting traditions and creates a pictorial fragmented space. It assures itself as surface and materiality, emphasizing the flux and the instability between opposite poles and making the investment remain in a relation around the space of the amplified physical field where the viewer stands.eng
dcterms.creatorCerqueira, Fátima Nader Simões-
dcterms.formattextpor
dcterms.issued2009-07-08-
dcterms.languageporpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Artespor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqArtespor
dc.publisher.courseMestrado em Artespor
dc.contributor.refereeCirillo, Aparecido José-
dc.contributor.refereeMartinez, Elisa de Souza-
Aparece nas coleções:PPGA - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_3576_dissertação MESTRADO.pdf7.27 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.