Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2170
Título: Os primeiros processos censitários brasileiros e o desenvolvimento da matemática-estatística no Brasil de 1872 a 1938
Autor(es): Poubel, Martha Werneck
Orientador: Sad, Lígia Arantes
Palavras-chave: História da Estatística
Censos demográficos brasileiros
Data do documento: 18-Set-2013
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O objetivo central é elaborar uma trajetória histórica dos primeiros censos demográficos brasileiros, com questionamentos relacionados à elaboração e à realização desses processos censitários. Uma das delimitações foi o recorte temporal, estabelecido entre o primeiro censo brasileiro e a criação do IBGE. Avaliamos como, quando e quais conhecimentos de matemática e estatística foram destaques na realização dos primeiros censos. Assim, procedemos a uma reflexão histórica relacionada à constituição do campo de conhecimento da Estatística no Brasil, em busca de vestígios de sua inserção e de seu estado de desenvolvimento no ensino superior, como um meio de conhecer as bases estatísticas que estavam sendo introduzidas na educação brasileira oitocentista. Entre os referenciais teóricos utilizados, destacam-se Marc Bloch e Nelson Senra, adicionados por contribuições importantes referenciadas por outros autores. A metodologia é a de uma pesquisa histórica e documental. Entre as conclusões, observamos que, nos três primeiros censos, foram utilizados conhecimentos de Estatística Descritiva (conhecimentos matemático-estatísticos básicos), como contagens, proporções e tabulações; no quarto censo, a inovação foi por conta do uso da contagem com auxílio de máquinas calculadoras e de algumas representações gráficas da Estatística Descritiva. Nesses primeiros censos, as ferramentas foram, principalmente, observações de párocos, de agentes censitários, listas de família e formulários. As pessoas envolvidas mais diretamente na elaboração dos censos tinham formação variada (eram políticos, advogados, engenheiros, médicos), mas não se utilizaram de conhecimentos matemático-estatísticos e métodos que já tinham sido desenvolvidos e disponibilizados pela comunidade científica internacional dessa área. Notamos a importância de aprofundar conhecimentos da história da Estatística e os reflexos culturais dessa história para o desenvolvimento estatístico no Brasil.
The aim is to elaborate a historical trajectory of the first brazilian censuses with questions related to the preparation and implementation of these census survey processes. One of the boundaries was the time frame established between the first brazilian census and the creation of the IBGE. We evaluated how, when and which knowledge of mathematics and statistics were highlights in the realization of the first censuses. Thus, we proceed to a historical reflection related to the constitution of the field of statistical knowledge in Brazil, to meet its development in higher education, to learn about the statistics that had been introduced in nineteenth brazilian education. Among the theoretical framework stands out Marc Bloch and Nelson Senra, with important contributions that were referenced by other authors. The methodology used here is that of a historical and documentary research. Among the conclusions we observed that basic descriptive statistics (mathematical-statistical knowledge) such as counts, proportions and tabulations were used in the first three censuses, and in the fourth census, the innovation was the use of counting with the aid of calculators and some graphical representations of data. In these early censuses the tools were mainly observations of vicars, census agents, family lists and forms. The people most directly involved in the preparation of the censuses had varied backgrounds (they were politicians, lawyers, engineers and doctors), but they did not use knowledge and statistical methods that had been developed and made available by the international scientific community. We note the importance of deepening knowledge of the history of statistics and its cultural reflexes for statistical development in Brazil.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2170
Aparece nas coleções:PPGE - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_6807_TESE MARTHA.pdf5.07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.