Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2179
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorCARVALHO, J. M.
dc.date.accessioned2016-08-29T11:03:52Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-29T11:03:52Z-
dc.identifier.citationANDRADE, P. G. R., Sobre olharespor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/2179-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleSobre olharespor
dc.typedoctoralThesisen
dcterms.abstractEste estudo foi elaborado a partir da proposta de fortalecimento das relações comunitárias entre a Universidade Federal do Espírito Santo e as comunidades jongueiras e caxambuzeiras. Destina-se a apresentar a pesquisa realizada em territórios negros sob a inspiração do Jongo e do Caxambu, reconhecidos como Patrimônio Imaterial do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A pesquisa foi desenvolvida no norte do Estado do Espírito Santo e tem como recurso analítico e conceitual estudos sobre etnicidade no campo da educação. Sua proposta é ampliar e constituir-se como base para a implementação da Lei nº. 10.639/2003, considerando a descrição das categorias religiosidade, territorialidade, memórias, cultura negra, cultura popular e tradição, com base nas narrativas dos sujeitos. Relaciona as práticas culturais do jongo e do caxambu como elementos importantes para a reconstrução da história do negro no Sudeste brasileiro. O tema de investigação foi construído sob a inspiração teórica dos estudos culturais referenciados em Stuart Hall (2008), Canclini (1997), Santos (2008, 2009), Certeau (2005) e na produção simbólica das interpretações sociais, das fronteiras étnicas para descrever as diferenças percebidas pelos sujeitos. Trabalhou-se basicamente propondo as múltiplas interpretações a partir do vivido. O estudo reforça a importância das africanidades na formação de professores e a discussão do Patrimônio Imaterial do Jongo como possibilidades de saberes-fazeres no campo do currículo escolar. Os caminhos da pesquisa partem de uma base etnográfica, conjugando a metodologia da história oral temática com a pesquisa participante e a pesquisa ação, interligando as memórias dos sujeitos, suas narrativas e vivências ao fazer pedagógico no cotidiano das comunidades. Ressalta a relação intercultural e territorial que identifica jongueiros e caxambuzeiros. Os resultados da pesquisa descrevem as condições dessas práticas, da visibilidade das políticas culturais, da produção das identidades jongueiras no norte do Estado do Espírito Santo, sob o ponto de vista dos sujeitos elencados.por
dcterms.creatorANDRADE, P. G. R.
dcterms.issued2013-09-30
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educaçãopor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseDoutorado em Educaçãopor
dc.contributor.refereeGUIMARAES, A. A.
dc.contributor.refereeIvone Martins de Oliveira
dc.contributor.refereeOLIVEIRA, O. M.
dc.contributor.refereeSISS, A.
dc.contributor.refereeMONTEIRO, E.
Aparece nas coleções:PPGE - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_7253_TESE COMPLETA 8-3-2014 (Reparado).pdf7.51 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.