Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2272
Título: A imaginação de palácio e a mediação das imagens da cidade na Educação Infantil de Vitória
Autor(es): FERREIRA, S. M. O.
Orientador: Gerda Margit Schutz Foerste
Palavras-chave: Imaginário
Leitura de Imagem
Mediação
Educação Infantil
Data do documento: 30-Mar-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FERREIRA, S. M. O., A imaginação de palácio e a mediação das imagens da cidade na Educação Infantil de Vitória
Resumo: Esta pesquisa reporta-se à leitura de imagens na Educação Infantil, apresentando como referencial teórico as contribuições de Vigotski, Sarmento, Schültz-Foerste, Araújo dentre outros. Caracteriza-se como pesquisa empírica, utilizando a abordagem metodológica qualitativa, sendo os dados coletados por meio de entrevistas semi-estruturadas, narrativas orais e imagéticas das crianças, fotografias e filmagens no espaço escolar e fora dele. Enfatiza a relevância das práticas educativas em espaços expositivos e o desvelar da imaginação tendo as crianças, o professor de artes, os monitores e professores/pedagogos como sujeitos desse processo de ensino aprendizagem. O objetivo do estudo é analisar desenhos do imaginário de palácios construídos por crianças da Educação Infantil, com o intuito de perceber como seus discursos imagéticos podem ser mediados por imagens da cidade. Logo, percebemos que elas, através dos desenhos/registros imagéticos, remontaram cenas da imaginação por meio do conceito de palácio e criaram outros depois da visita/passeio pela cidade. Assim, representaram suas próprias leituras de mundo, como ouviram e viram.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2272
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4918_Sonia_Maria_Oliveira_Ferreira.pdf1.88 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.