Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2299
Título: Educação do campo e formação no/pelo trabalho: experiências de homens e mulheres do Assentamento Sezínio Fernandes de Jesus, MST-ES
Autor(es): Oliveira, Welson Batista de
Orientador: Oliveira, Edna Castro de
Palavras-chave: Processos formadores
trabalho/experiências
Data do documento: 25-Out-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Esta pesquisa, de natureza qualitativa, teve como objetivo analisar os processos formadores que mulheres e homens do Assentamento Sezinio FJ do MST- ES constroem com seus saberes e conhecimentos, tendo como base suas experiências e práticas nas relações no/pelo trabalho no campo. Para tal, a metodologia da pesquisa participante, atrelada a uma pesquisa antropológica, foi os caminhos tomados para a abordagem no trabalho de campo. Participaram da pesquisa, os membros da coordenação do assentamento, dos núcleos de base e trinta famílias, com as quais conversamos em suas casas explorando as histórias de vida através de suas narrativas. Esses sujeitos, em sua maioria, estão voltando da cidade para o campo com experiências de trabalho no meio urbano, sem ter vivido, até então, a prática do labor com a terra. Tomamos como aporte teórico os estudos que abordam os sentidos do trabalho e da experiência a partir dos autores Walter Benjamin, Antônio Gramsci, Georg Lukács e E.P Thompson, em diálogo com a Educação do campo. Os resultados indicam que há um processo em curso de recampezinização das famílias o qual descaracteriza a concepção de reforma agrária do MST, com isso trazendo para o Movimento o desafio de pensar um plano de formação diferente para essas famílias.
This qualitative study aimed to analyze the processes by which women and men from MST Sezinio´s settlemen in ES build their knowledge and expertise, based on their experiences and practices in relation to the work field. Thus, the Participant research together with an anthropological research, were the research methodologies chosen to conduct the field work. The research participants were members of the settlements coordination, of the support groups, and thirty families to whom we “talked” in their houses, exploring their life stories through their speech as subjects who, for the most part, are going back to the countryside with working experiences in the city, without having any contact until then with the land labor. The studies from Walter Benjamin, Antônio Gramsci, Georg Lukács and E.P Thompson that deals with the concepts of work and experience, discussing also the country education were used as the theoretical bases of this study. The results suggest that there is an ongoing process of readapting the families to the rural areas, which goes against the concept of MST´s land reform, thus bringing to the Movement the challenge of designing a different development plan for these families that have established a new focus of the struggle for the land, not centered on the staying of this families on the land, but on their coming back to the rural areas, where new concepts of work in the rural areas emerge.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2299
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_5741_.pdf705.47 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.