Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2460
Título: CULTURA e Língua Pomeranas: um Estudo de Caso em uma Escola do Ensino Fundamental no Município de Santa Maria de Jetibá Espírito Santo Brasil
Autor(es): KUSTER, S. B.
Orientador: FOERSTE, E.
Palavras-chave: Língua
Cultura
Bilinguismo
Pomeranos
Data do documento: 13-Jul-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: KUSTER, S. B., CULTURA e Língua Pomeranas: um Estudo de Caso em uma Escola do Ensino Fundamental no Município de Santa Maria de Jetibá Espírito Santo Brasil
Resumo: Esta pesquisa analisa, em uma escola de ensino fundamental do município de Santa Maria de Jetibá, estado do Espírito Santo Brasil: a) como diferentes sujeitos, que ali interagem, veem e promovem sua cultura, em especial a língua pomerana; e b) avaliam-se aspectos do Programa de Educação Escolar Pomerana PROEPO , para verificar sua contribuição para a manutenção da língua materna pomerana. Traça-se brevemente a história da imigração pomerana, bem como as produções acadêmicas referentes à educação desse povo em terras capixabas, e prestam-se informações sobre a educação atual do município, a língua pomerana e o PROEPO. O estudo se beneficiou de discussões sobre abordagens qualitativas de educação para a realização de estudo de caso, para a análise de documentos, observação participante, aplicação de questionários, realização de entrevistas semiestruturadas e diário de campo. Trabalharam-se conceitos, como: língua (GERALDI, 2010; BOURDIEU, 1996) cultura (BRANDÃO, 2002; CANCLINI, 2009; FREIRE & FAUNDEZ,1985) bilinguismo, educação bilíngue, direitos linguísticos, política linguística e sociolinguística educacional (BORTONI-RICARDO, 2004, 2005; CALVET, 2002, 2007; OLIVEIRA, 2000, 2007; HAMEL, 2003). Os resultados obtidos evidenciam que 95% dos alunos são descendentes pomeranos e, desses, 90% são bilíngues pomerano-português. Os usos da língua pomerana predominam no seio familiar entre os sujeitos mais velhos; quando se trata das gerações mais novas, ocorre o bilinguismo. Em outros domínios sociais, como igrejas, escolas, comércio e festas, o português é mais recorrente. No ambiente escolar, o português é a língua oficial, ainda que isso não signifique a anulação da língua materna pomerana que é também ofertada como disciplina específica. Os pais ressaltam a importância de ambas as línguas na vida dos filhos e defendem o bilinguismo para a manutenção do pomerano. Atribui-se ao PROEPO o mérito da manutenção desta língua de imigração, ao mesmo tempo em que os sujeitos da pesquisa externam preocupação quanto ao repasse da língua para as futuras gerações, bem como a ampliação de debates sobre a difusão da língua pomerana em outras esferas sociais. Impactos sobre a perda da língua para o povo tradicional pomerano ainda são conjecturas, mas podem significar destruição de conhecimentos e saberes tradicionais, transmitidos entre as gerações até os dias atuais.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2460
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_8975_Dissertação de Mestrado Cultura e Língua Pomerana.pdf14.73 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.