Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2843
Título: Neoliberarismo, privatização de gestão e subjetividade: um estudo sobre o cotidiano dos trabalhadores da Escelsa.
Autor(es): Ferrari, André Luiz Sant´Ana
Orientador: Manfroi, Vânia Maria
Palavras-chave: Pacto Fordista
Neoliberalismo
Toyotismo
Escelsa
Data do documento: 18-Mar-2005
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O objetivo do presente trabalho foi analisar o impacto das práticas de gestão de pessoas da Escelsa (Centrais Elétricas do Espírito Santo S. A.) sobre o cotidiano dos trabalhadores.A empresa em questão é responsável pelo fornecimento de energia elétrica para o estado do Espírito Santo e foi privatizada em 1995, desde então vem passando por um contínuo processo de reestruturação produtiva e redução do número de trabalhadores diretos. Antes de analisar o cotidiano dos trabalhadores foi apresentado um referencial teórico que explicitasse as diferenças estruturais da organização do trabalho, do papel dos Estados e da forma de agir das grandes corporações sob a lógica do pacto fordista e sob a égide do binômio acumulação flexível/neoliberalismo. A presente dissertação procurou estabelecer os elos entre políticas macroeconômicas, competição intercapitalista, práticas de gestão de pessoas e a forma do trabalhador agir e se enxergar dentro do mundo do trabalho. Foram realizadas entrevistas abertas com seis trabalhadores/ex-trabalhadores selecionados de maneira intencional. A análise das entrevistas apontou para formas diferentes de reagir perante os desafios semelhantes enfrentados pelos trabalhadores. Em um extremo encontrou-se um tipo de trabalhador que aceita os objetivos da empresa como sendo os seus objetivos pessoais. No outro pólo está um outro tipo de trabalhador, caracterizado pelo discurso de oposição às práticas da empresa. Independente da forma de reagir às práticas os trabalhadores da Escelsa estão submetidos a uma jornada de trabalho mais intensa, à valorização da individualização, a um achatamento salarial e à instabilidade quanto à manutenção do posto de trabalho.
The proposal of the present work was analyze the impact of the policy of human management of Escelsa (Centrais Elétricas do Espírito Santo S. A.) on the quotidian of the workers. The company studied sells electric energy for the state of Espírito Santo and was privatized in 1995, and, since then, has been passing through a downsizing process. Before analyzing the reengineering of Escelsa and its consequent working force reduction, the author presents the theory about mass production, welfare state, neoliberalism and lean-production. This work meant to establish the links between macroeconomic policies, inter-capitalist competition, human management policies and the way workers act and portrait themselves. Were made open interviews with six workers/former workers selected intentionally. The interview analyses showed different worker reaction to the same challenges imposed by the company human management policies. At one extreme there was one type of worker that accepted Escelsa´s goals as its own personal goals. At the other extreme there is a worker that question the company policies. Independent of the way they behave all the works find themselves submitted to a more intense work, a valorization of individualism, a real wage reductions and a instability about the maintenance of the job. Key-Words: Mass Production. Neo-liberalism. Lean-production. Escelsa. Quotidian
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2843
Aparece nas coleções:PPGADM - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_489_.pdf904.23 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.