Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2885
Título: OCUPAR, Resistir, Construir e Morar: manguezal Berçário de Memórias
Autor(es): NEIRA, M. F.
Orientador: MARGOTTO, L. R.
Coorientador: ARAGAO, E. M. A.
Data do documento: 27-Ago-2010
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: NEIRA, M. F., OCUPAR, Resistir, Construir e Morar: manguezal Berçário de Memórias
Resumo: RESUMO OCUPAR, RESISTIR, CONSTRUIR E MORAR: MANGUEZAL BERÇÁRIO DE MEMÓRIAS Este trabalho é uma produção da pesquisa de mestrado e se caracteriza pelo destaque dado à História Oral, uma ferramenta valiosa à análise da intersecção entre a vida individual e um dado contexto social. Ao entendermos como um método que favorece a criação de fontes históricas a partir de depoimentos; contribui-se para a recuperação de memórias e obtêm-se documentos não escritos. Neste contexto, o entrevistado é considerado um agente histórico e sua visão acerca da experiência e dos acontecimentos sociais que passaram, faz parte da reconstrução de um passado recente. Documentos obtidos com a via da História Oral permitem ao sujeito relembrar e ao mesmo tempo legitimar esta história no presente, que aborda o processo de formação do bairro Dom João Batista/Vila Velha/ES. Os relatos orais e a interpretação dos depoimentos reconstroem a história de ocupação e formação do bairro, uma história contada a partir de nosso objeto de estudo, o Manguezal. Compreendemos as memórias que por ele foram evocadas pelos ocupantes da área, desde os anos de 1980 até hoje, recompondo tempos e espaços de diferentes experiências vivenciadas, direta ou indiretamente, na luta pela moradia. Experiências individuais que se inscrevem no coletivo, como ensinam Halbwachs e constroem assim, o pano de fundo a uma leitura do processo de formação de um determinado território urbano. A pesquisa se apóia em autores como Walter Benjamin e Michel Pollak, destacando a necessidade da existência de lugares de memória, sobretudo, pela escassez cada vez maior na sociedade moderna de práticas que privilegiem a comunicação e troca de experiências. A faculdade de narrar quanto à de ouvir estariam em declínio (ou já desapareceram), e é justamente em função desta, que nossa pesquisa se volta na busca de experiências vividas de dentro para fora de um bairro, ligadas a um significado e a uma pertinência. Palavras-chave: Processos de urbanização
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2885
Aparece nas coleções:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4644_MALLY FREIRE.pdf5.2 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.