Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2943
Título: Cura, castigo? - um estudo sobre a criação da Eletroconvulsoterapia (ECT) e sua utilização em pacientes no estado do Espírito Santo
Autor(es): Tassis, Fernanda Pinto de
Orientador: Lavrador, Maria Cristina Campello
Data do documento: 30-Ago-2013
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A eletroconvulsoterapia (ECT) foi criada observando-se que os sintomas da esquizofrenia frequentemente eram diminuídos após uma convulsão, supondo-se, incorretamente, que Esquizofrenia e Epilepsia não poderiam coexistir em um mesmo paciente, de modo que, induzindo-se uma convulsão, poder-se-ia livrar o paciente da Esquizofrenia. A ECT foi introduzida como tratamento psiquiátrico anteriormente aos psicofármacos (década de 1950) hoje conhecidos e utilizados. Este trabalho pretendeu colocar em análise algumas diferenças entre os intuitos com a criação da ECT e alguns de seus usos e abusos. Além de um estudo sobre a eletroconvulsoterapia, trata-se, também, de um trabalho sobre subjugação. Nesse contexto, o livro Shock Therapy A History of Eletroconvulsive Treatment in Mental Illness de Edward Shorter e David Healy representou importante bibliografia. Para trazer a discussão a uma realidade espírito-santense, através do método cartográfico, sugerido por Suely Rolnik, como pesquisa de campo, foram ouvidos quatro profissionais Psiquiatras e três doidinhos que passaram pela experiência da eletroconvulsoterapia. Pretendeu-se analisar a discordância entre o uso da técnica quando utilizada conforme seus protocolos, portanto, de forma terapêutica; e quando utilizada deliberadamente, sem prescrições claras, como possível forma de castigo.
The electroconvulsive therapy was created by observing the symptoms of schizophrenia were often diminished after a seizure, assuming, incorrectly, that schizophrenia and epilepsy could not coexist in the same patient, so that, inducing a seizure, it would be able to rid the patient of schizophrenia. ECT was introduced as psychiatric treatment prior to psychotropics (1950) nowadays known and used. This work aims to put under analysis some differences between the intentions with the creation of electroconvulsive therapy and some of its uses and abuses. In addition to a study of electroconvulsive therapy, it is also a work of subjugation. In this context, the book "Shock Therapy - A History of Eletroconvulsive Treatment in Mental Illness" Edward Shorter and David Healy represented an important bibliography. To bring the discussion to a reality nearest, through the mapping method, suggested by Suely Rolnik, such as field research, were heard four psychiatrists and three " crazy people " who had the experience of electroconvulsive therapy. It was intended to examine the discrepancy between the use of the technique when used according to their protocols, therefore, therapeutically, and when used deliberately without prescriptions clear as possible form of punishment.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2943
Aparece nas coleções:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_7363_Fernanda Tassis.pdf911.5 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.