Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2979
Título: Análise de Eventos Privados do Tipo Sentir sob Controle de Contingências Programadas em um Software
Autor(es): CUNHA, L. S.
Orientador: BORLOTI, E. B.
Palavras-chave: Sentimento
Análise Experimental do Comportamento
Tacto
Ev
Data do documento: 16-Abr-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CUNHA, L. S., Análise de Eventos Privados do Tipo Sentir sob Controle de Contingências Programadas em um Software
Resumo: Analistas de Comportamento têm apontado relações entre contingências de reforçamento, estados corporais (eventos privados) e eventos públicos. O presente experimento teve por objetivo investigar o controle de contingências programadas sobre eventos privados do tipo sentir, empregando um procedimento que eliciou tais eventos e evocou o tacto dos mesmos (sentimento). Participaram 20 estudantes, de ambos os sexos, com idade entre 11 e 14 anos, que cursavam o ensino fundamental em uma escola privada de Vitória-ES, que executaram as tarefas do software PsychoTacto 2.0. Diante de uma tela dispondo de quatro estímulos (cards), um localizado na parte superior central (estímulo-modelo) e três alinhados na parte inferior central da tela (estímulos-comparação), os participantes respondiam clicando com um mouse em um dos estímulo-comparação a conseqüência era programada de acordo com a contingência básica de reforçamento em operação e, ao término de cada procedimento, relatavam o que sentiram. A freqüência cardíaca e a latência das respostas foram medidas; comportamentos motores e verbais foram registrados por observadores treinados; dos verbais foi inferido controle instrucional sobre o desempenho. Resultados: na fase Reforçamento Positivo predominaram relatos de contentamento (30%), safisfação (20%) e alegria (20%). Na fase Punição Negativa, predominaram relatos de frustração (50%), desapontamento (20%), tristeza (20%), tristeza (20%) e apreensão (10%). Na fase Punição Positiva, predominaram relatos de raiva (30%), aborrecimento (20%), ansiedade (20%), apreensão (20%) e medo (10%). E na fase Reforçamento Negativo, relatos de ansiedade (40%), apreensão (30%) e alívio (30%). Em todas as fases as respostas apresentaram um tempo médio de latência diferente, sendo a maior para o Reforçamento Positivo (3min e 17 seg) e a menor para o Reforçamento Negativo (1 min e 23 seg). As regras formuladas indicaram a não discriminação do desempenho como variável controlada. Os dados motores, verbais e cardíacos combinados mostram que a exposição a contingências pode eliciar eventos privados do tipo sentir e produzir tactos dos mesmos. Não foram registradas discrepâncias entre os dados obtidos entre meninos e meninas. Palavras-chave: Eventos Privados.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2979
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_2182_.pdf273.14 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.