Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3009
Título: Estudo sobre representações sociais de casamento e práticas conjugais para nipo-descendentes e brasileiros
Autor(es): Waricoda, Ana Sayuri Ribeiro
Orientador: Souza, Lídio de
Palavras-chave: Casamento
Representações Sociais
Gênero
Japoneses
Data do documento: 31-Ago-2010
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Cem anos após a chegada dos primeiros imigrantes japoneses no Brasil, seus descendentes [nikkeis] constituem uma parcela da população brasileira que recebe influências culturais ocidentais, mas também compartilha costumes e valores peculiares japoneses. Esta pesquisa pretendeu conhecer por meio da Teoria das Representações Sociais e das Teorias de Gênero, como as concepções de casamento e amor podem ser afetadas pelas influências culturais brasileiras e japonesas entre nikkeis e não-descendentes de japoneses, e assim, compreender mais sobre o universo da cultura brasileira e japonesa no cotidiano dessas pessoas. Para tanto, 100 participantes de ambos os sexos, nikkeis e não-descendentes de japoneses, responderam a um questionário de evocação, contendo os termos indutores casamento e amor, e utilizou-se o software EVOC para o processamento dos dados obtidos. Em seguida, entrevistou-se oito desses participantes, quatro homens e quatro mulheres nikkeis, quanto à história e ao cotidiano conjugal. Para o processamento dos dados coletados nas entrevistas aplicou-se técnica da Análise de Conteúdo. Os resultados indicam representações sociais ancoradas em modelos tradicionais de conjugalidade e de amor, mas que possuem nas periferias elementos que indicam a influência do amor-romântico e do individualismo que podem colaborar com uma mudança de concepção. Quanto às práticas identificadas nos discursos dos entrevistados, estas revelam relacionamentos influenciados principalmente por uma visão individualista, em que os gastos e as tarefas domésticas são compartilhadas por ambos os sexos no casamento. Contudo, há no discurso das mulheres uma dificuldade dos homens em aceitar esta divisão, enquanto para os homens entrevistados, a divisão é uma realidade.
One hundred years after the arrival of the first Japanese’s immigrants in Brazil, their descendants constitute a portion of the Brazilian population receiving Occidental cultural influences, but also share peculiar Japanese customs and values. This research intended to know by the Theory of Social Representations and Theories of Gender, how conceptions of marriage and love can be affected by cultural influences between Brazilian and JapaneseBrazilian, and thus understand more about the universe of Brazilian and Japanese culture for these people. Therefore, 100 women and men participants, Brazilian and JapaneseBrazilian, answered an evocation questionnaire containing the terms inducers marriage and love, and has used the software EVOC for processing the data. Then we interviewed eight participants, four men and four women, Nikkei, about marital history and everyday life. For processing data collected in interviews applied technique of analysis Content. The results indicate social representations based on traditional models of marital and love, but they have in peripheral elements that indicate the influence of love-romantic and individualism that can collaborate with a change of conception. As practices identified in participants' reports, they reveal relationships mainly influenced by an individualistic vision, in that spending and household tasks are shared by both sexes in marriage. However, there is in the women discourse a hard time men in accepting this division, while for the men interviewed, the division is a reality.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3009
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_3222_Dissertação para imprimir.pdf684.17 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.