Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3029
Título: Amizade e inclusão no contexto escolar: um olhar piagetiano
Autor(es): Ricardo, Lorena Santos
Orientador: Rossetti, Claudia Broetto
Palavras-chave: Teoria Piagetiana
Data do documento: 11-Ago-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Segundo Piaget, as crianças podem socializar seus pensamentos quando têm amigos. Com o advento da inclusão escolar, novas experiências têm sido vivenciadas em sala de aula. A presente pesquisa objetivou investigar se há diferença no conceito de amizade, no respeito às diferenças e nos relacionamentos de amizade no contexto escolar entre 17 crianças que estudam com um autista em classe inclusiva (CI) e 17 que estudam em classe não inclusiva (CNI), todas com idade entre 7-8 anos, estudantes do 2º ano do ensino fundamental da rede pública do interior do ES. Para a coleta de dados foram criados seis cartões para meninas, seis para meninos e dois para ambos, com desenhos de crianças em diversas situações. Também foi utilizado um roteiro de entrevista baseado no método clínico Piagetiano. Primeiramente, os cartões foram apresentados para que cada participante os descrevesse, indicasse se aquelas crianças poderiam ou não ser amigas e justificasse sua resposta. Em seguida, era realizada a entrevista. A maioria dos participantes descreveu os cartões similarmente. Também definem amizade e percebem o diferente de forma semelhante, embora os alunos da CI pareçam mais dispostos a respeitar e se relacionar com aqueles que são vistos como diferentes. Para a maioria é bom ter amigos na escola. Espera-se que esta pesquisa possa auxiliar na elaboração de estratégias de incentivo à amizade e ao respeito às diferenças no contexto escolar para que o processo de inclusão se torne cada vez mais uma realidade, sobretudo para os alunos com transtorno do espectro autista.
According to Piaget, children can socialize their thoughts when they have friends. With the advent of the school inclusion, new situations are experienced in the classroom. Therefore, this study investigated whether there are differences in the concept of friendship, respect for differences and relationships in the school among 17 children studying in inclusive class (IC) with an autistic child and 17 other children studying in a not inclusive class (NIC). All students are aged 7 to 8 years old, studying in the 2nd year of public elementary schools in an interior city of the ES. To collect the data were made six cards for girls, six for boys, with pictures showing children in various situations. Also, an interview guide based on the piagetian clinical method. First, the cards were presented to the participants to describe, indicate whether or not those children could be friends and justify their answers. Then, the interview was conducted. Most of the participants described the cards similarly. They also define "friendship" and perceive the different similarities. Although IC students seem to be more willing to respect and to relate to those who are seen as different. . For the most it is good to have friends at school. It is expected that this research can contribute in developing strategies that encourages friendship and respect for differences in the school context for the inclusion process to become ever more authentic, especially for students with autistic spectrum disorders.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3029
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_3962_.pdf2.74 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.